Audioteca | COMPORTAMENTO

Saudade, ódio, tristeza, indiferença, culpas: existe vida depois do amor?


Especial dos Namorados abordou os términos de relacionamento e ainda fez um "baladão romântico"

Publicado em 21/06/2016, às 09:58


Rádio Jornal
Rafael Souza
E quando acaba o amor? Como lidar? Foto: Internet

Romantismo, caixas de bombom, flores, música melosa são os ingredientes tradicionais do Dia dos Namorados. Mas o programa "Comportamento" deu uma receita diferente no especial deste último domingo (19): todo o "climão" com o fim de um relacionamento. Curtir a tristeza, afogar as mágoas e partir para a outra estão entre as medidas a serem tomadas na hora da "fossa".

Clarissa Siqueira recebeu o psicólogo Silvio Ferreira e a empresária da rede de sexshop Daniela Farias para um bate papo animado e cheio de boas reflexões. "A gente não pensa no ex por que quer", afirma o psicólogo que defende a ideia de que todas as pessoas precisam de um período de transição pós-término. O tempo para superar uma paixão geralmente chega a até dois anos, geralmente: "A não ser que você queira se enganar. Existe um processo de hemorragia emocional e não dá pra colocar outro no lugar para tamponar", declara o psicólogo.

Já a empresária Daniela Farias afirma que é preciso desfazer a ideia de que os relacionamentos são para sempre e que é preciso se ter a ideia de que a noção de felicidade é relativa: "Não dá pra dizer que não deu certo. Deu certo enquanto durou. Se acabou é por que não deu mais certo", opinou.

A RELAÇÃO ENTRE EX E ATUAL

No início de uma nova relação é importante saber lidar com o que veio antes e com a personalidade de quem chegou depois. Os dois entrevistados do "Comportamento" lembram que os temperamentos, atitudes e posturas jamais serão iguais de pessoa para pessoa e que deve existir um cuidado para que o(a) ex não se torne uma sombra no atual momento do casal: "Cada pessoa é diferente dentro de um relacionamento. Você não pode exigir que uma pessoa seja igual a outra", diz o psicólogo Silvio Ferreira.

E dá para ser amigo do(a) ex ou manter os mesmo laços com familiares e amigos da época dp namoro? Para o psicólogo nada será como antes: "Cada pessoa tem um padrão. Em qualquer caso, deve-se tratar de maneira amistoso, nada mais que isso". Daniela Farias completa: "As relações com a família e os amigos do ex vão acabar. Com o tempo, vai haver uma diminuição da frequência e esse relacionamento tende a acabar".

MISTURA DE EMOÇÕES

O mais importante para superar o fim de um relacionamento, na visão dos entrevistados, é sentir a dor e saber que tudo passa. Para Silvio Ferreira, existem passos que precisam ser dados. O segredo para é não mascarar a dor, não fugir dela, respirar fundo e dizer: isso passa.

O psicólogo Silvio Ferreira destaca a importância dessa verdadeira "dança de sentimentos": "Amor e ódio não são contrários. A indiferença é a real contraface do amor. O amor é o ódio são a mesma coisa em intensidades diferentes", destaca. O profissional acredita ainda que de tudo pode se tirar um grande aprendizado, em especial, das desilusões amorosas. "Não existe nada na vida que nos ensine mais que o sofrimento. Se uma pessoa não aprende com o sofrimento, não vai aprender com nada mais", completa.

BALADÃO

Dentro do especial para o Dia dos Namorados, a coluna "Meus Amores da Televisão" fez uma brincadeira pelos love songs que marcaram as telenovelas brasileiras. Com trilha sonora nacional e internacional, os jornalistas Clarissa Siqueira e Rafael Souza contaram com a ajuda de colegas da redação da Rádio Jornal. Abaixo, você confere as 16 músicas selecionadas nesse "baladão romântico".

1 - “Rock And Roll Lullaby” de B. J. Thomas, tema de Simone (Regina Duarte) e Cristiano (Francisco Cuoco) em “Selva de Pedra” (1972) 
2 - “O amor e poder” de Rosana, tema de Jocasta (Vera Fischer) e Édipo (Felipe Camargo) em “Mandala” (1987) 
3 – “Dona” de Roupa Nova,  tema de Viúva Porcina (Regina Duarte) e Senhorzinho Malta (Lima Duarte) em “Roque Santeiro” (1985)
4 - “Wherever Will You Go” do The Calling, tema de Clara (Helena Ranaldi) e Edu (Fábio Assunção) em “Coração de Estudante” (2002)
5 - “Velha Infância” dos Tribalistas, tema de Edwiges (Carolina Dieckman) e Cláudio (Erik Marmo) em “Mulheres Apaixonadas” (2003)
6 - “Se eu não te amasse tanto assim” de Ivete Sangalo, tema de Maria João (Viviane Pasmanter) e Baldochi (Humberto Martins) em “Uga Uga” (2000)
7 - “Miss You Love” do Silverchair, tema de Nanda (Rafaela Mandeli) e Gui (Iran Malfitano) em “Malhação” (2001)
8 - “Tua Boca”, de Belo, tema de Catarina (Adriana Esteves) e Petruchio (Eduardo Moscovis) em “O Cravo e a Rosa” (2000)
9 - “Só vejo você” de Tânia Mara, tema de Clara (Giovanna Antonelli) e Marinas (Tainá Muller) em “Em Família” (2015)
10 - “A Noite” de Tiê, tema de Marizete (Bruna Marquesine) e Benjamim (Mauricio Destri) em “I Love Paraisópolis” (2015)
11 - “Save Me” do Hanson, tema de Camila (Carolina Dieckman) e Edu (Reynaldo Gianechini) em “Laços de Família” (2000)
12 - “Pensar em Você” por Daniela Mercury, tema de Giovana (Paola Oliveira) e Mateus (Kauã Reymond) em “Belíssima” (2005)
13 –  “Still Loving You”, do Scorpions, tema de Heloísa (Isabela Garcia) e Zeca (Caíque Ferreira) em “Corpo a Corpo” (1984)
14 - “De janeiro a janeiro” de Roberta Campos e Nando Reis, tema de Amora (Sophie Charlotte) e Bento (Marco Pigossi) em “Sangue Bom” (2013)
15 - “A Miragem” de Marcus Viana – tema de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benício) em “O Clone”
16 - “Per Amore” de Zizi Possi, tema de Helena (Regina Duarte) e Atílio(Antônio Fagundes) em “Por Amor” (1997)

Fonte: Rádio Jornal

Audioteca

Saudade, ódio, tristeza, indiferença, culpas: existe vida depois do amor?



Publicado em 21/06/2016, às 09:58


Rádio Jornal
Rafael Souza
E quando acaba o amor? Como lidar? Foto: Internet

Romantismo, caixas de bombom, flores, música melosa são os ingredientes tradicionais do Dia dos Namorados. Mas o programa "Comportamento" deu uma receita diferente no especial deste último domingo (19): todo o "climão" com o fim de um relacionamento. Curtir a tristeza, afogar as mágoas e partir para a outra estão entre as medidas a serem tomadas na hora da "fossa".

[uolmais_audio 15902925]

[uolmais_audio 15902926]

[uolmais_audio 15902928]

[uolmais_audio 15902929]

[uolmais_audio 15902931]

[uolmais_audio 15902932]

Clarissa Siqueira recebeu o psicólogo Silvio Ferreira e a empresária da rede de sexshop Daniela Farias para um bate papo animado e cheio de boas reflexões. "A gente não pensa no ex por que quer", afirma o psicólogo que defende a ideia de que todas as pessoas precisam de um período de transição pós-término. O tempo para superar uma paixão geralmente chega a até dois anos, geralmente: "A não ser que você queira se enganar. Existe um processo de hemorragia emocional e não dá pra colocar outro no lugar para tamponar", declara o psicólogo.

Já a empresária Daniela Farias afirma que é preciso desfazer a ideia de que os relacionamentos são para sempre e que é preciso se ter a ideia de que a noção de felicidade é relativa: "Não dá pra dizer que não deu certo. Deu certo enquanto durou. Se acabou é por que não deu mais certo", opinou.

A RELAÇÃO ENTRE EX E ATUAL

No início de uma nova relação é importante saber lidar com o que veio antes e com a personalidade de quem chegou depois. Os dois entrevistados do "Comportamento" lembram que os temperamentos, atitudes e posturas jamais serão iguais de pessoa para pessoa e que deve existir um cuidado para que o(a) ex não se torne uma sombra no atual momento do casal: "Cada pessoa é diferente dentro de um relacionamento. Você não pode exigir que uma pessoa seja igual a outra", diz o psicólogo Silvio Ferreira.

E dá para ser amigo do(a) ex ou manter os mesmo laços com familiares e amigos da época dp namoro? Para o psicólogo nada será como antes: "Cada pessoa tem um padrão. Em qualquer caso, deve-se tratar de maneira amistoso, nada mais que isso". Daniela Farias completa: "As relações com a família e os amigos do ex vão acabar. Com o tempo, vai haver uma diminuição da frequência e esse relacionamento tende a acabar".

MISTURA DE EMOÇÕES

O mais importante para superar o fim de um relacionamento, na visão dos entrevistados, é sentir a dor e saber que tudo passa. Para Silvio Ferreira, existem passos que precisam ser dados. O segredo para é não mascarar a dor, não fugir dela, respirar fundo e dizer: isso passa.

O psicólogo Silvio Ferreira destaca a importância dessa verdadeira "dança de sentimentos": "Amor e ódio não são contrários. A indiferença é a real contraface do amor. O amor é o ódio são a mesma coisa em intensidades diferentes", destaca. O profissional acredita ainda que de tudo pode se tirar um grande aprendizado, em especial, das desilusões amorosas. "Não existe nada na vida que nos ensine mais que o sofrimento. Se uma pessoa não aprende com o sofrimento, não vai aprender com nada mais", completa.

BALADÃO

Dentro do especial para o Dia dos Namorados, a coluna "Meus Amores da Televisão" fez uma brincadeira pelos love songs que marcaram as telenovelas brasileiras. Com trilha sonora nacional e internacional, os jornalistas Clarissa Siqueira e Rafael Souza contaram com a ajuda de colegas da redação da Rádio Jornal. Abaixo, você confere as 16 músicas selecionadas nesse "baladão romântico".

1 - “Rock And Roll Lullaby” de B. J. Thomas, tema de Simone (Regina Duarte) e Cristiano (Francisco Cuoco) em “Selva de Pedra” (1972) 
2 - “O amor e poder” de Rosana, tema de Jocasta (Vera Fischer) e Édipo (Felipe Camargo) em “Mandala” (1987) 
3 – “Dona” de Roupa Nova,  tema de Viúva Porcina (Regina Duarte) e Senhorzinho Malta (Lima Duarte) em “Roque Santeiro” (1985)
4 - “Wherever Will You Go” do The Calling, tema de Clara (Helena Ranaldi) e Edu (Fábio Assunção) em “Coração de Estudante” (2002)
5 - “Velha Infância” dos Tribalistas, tema de Edwiges (Carolina Dieckman) e Cláudio (Erik Marmo) em “Mulheres Apaixonadas” (2003)
6 - “Se eu não te amasse tanto assim” de Ivete Sangalo, tema de Maria João (Viviane Pasmanter) e Baldochi (Humberto Martins) em “Uga Uga” (2000)
7 - “Miss You Love” do Silverchair, tema de Nanda (Rafaela Mandeli) e Gui (Iran Malfitano) em “Malhação” (2001)
8 - “Tua Boca”, de Belo, tema de Catarina (Adriana Esteves) e Petruchio (Eduardo Moscovis) em “O Cravo e a Rosa” (2000)
9 - “Só vejo você” de Tânia Mara, tema de Clara (Giovanna Antonelli) e Marinas (Tainá Muller) em “Em Família” (2015)
10 - “A Noite” de Tiê, tema de Marizete (Bruna Marquesine) e Benjamim (Mauricio Destri) em “I Love Paraisópolis” (2015)
11 - “Save Me” do Hanson, tema de Camila (Carolina Dieckman) e Edu (Reynaldo Gianechini) em “Laços de Família” (2000)
12 - “Pensar em Você” por Daniela Mercury, tema de Giovana (Paola Oliveira) e Mateus (Kauã Reymond) em “Belíssima” (2005)
13 –  “Still Loving You”, do Scorpions, tema de Heloísa (Isabela Garcia) e Zeca (Caíque Ferreira) em “Corpo a Corpo” (1984)
14 - “De janeiro a janeiro” de Roberta Campos e Nando Reis, tema de Amora (Sophie Charlotte) e Bento (Marco Pigossi) em “Sangue Bom” (2013)
15 - “A Miragem” de Marcus Viana – tema de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benício) em “O Clone”
16 - “Per Amore” de Zizi Possi, tema de Helena (Regina Duarte) e Atílio(Antônio Fagundes) em “Por Amor” (1997)

Fonte: Rádio Jornal