Audioteca | ENTREVISTA

Vindas constantes ao Recife não são pecado, diz Mendonça Filho


Reportagem da Folha de São Paulo aponta que 1 em cada 5 compromissos de Mendonça Filho é em Pernambuco. O ministro da Educação também comentou candidatura em 2018

Publicado em 27/01/2017, às 11:13


Rádio Jornal
Foto: Sérgio Bernardo/ Arquivo JC Imagem


Em entrevista à Rádio Jornal, o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) comentou a reportagem da Folha de São Paulo, na qual se afirma que 1 em cada cinco compromissos do Democrata aconteceu em Pernambuco. De acordo com a reportagem, Mendonça é cotado para disputar o cargo de governador em 2018 e teria aberto um escritório do MEC no Recife para garantir a permanência no Estado.

Para o ministro, não existe problema algum em estar no Estado sempre nas segundas ou sextas-feiras. "Não é nenhum pecado trabalhar por Pernambuco", disse. Coincidentemente, ele chegou nessa quinta-feira (26) ao Recife e acompanha o presidente Michel Temer nas agendas oficiais a Floresta e Serra Talhada, em Pernambuco, na semana que vem.

» Mendonça Filho diz que não é hora de falar em eleição de Temer
» Mendonça Filho diz que Enem pode sofrer aprimoramentos
» "Não há nenhuma chance de eliminar a redação do Enem", diz ministro

Mendonça ainda se mostra irritado com as informações veiculadas pela reportagem. "O que ocorre é que eu moro em resido em Pernambuco. Eu como ministro de Estado tenho direito de, semanalmente, vir para Pernambuco onde reside minha esposa e filha", disse. "A análise da Folha de São Paulo é precária e tendenciosa. Se você fizer uma avaliação de qualquer outro ministro de Estado que resida em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná ou qualquer outro estado, você vai verificar que eles vão para suas cidades nos finais de semana", completa.

Sobre a candidatura para o Governo do Estado, Menodnça disse que a "cabeça está voltada para trabalhar pela educação". "Não tenho nenhuma preocupação do ponto de vista eleitoral. Essa especulação de candidatura é pura alimentação de pessoas que querem jogar terra no nosso caminho", completa. Na última vez em que se candidatou a governador, em 2006, Mendonça disputou o segundo turno com Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em 2014, e ficou com 34,64% dos votos.

Avião da FAB

Mendonça Filho também justificou o uso dos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) em 17 oportunidades, desde que se tornou ministro, em maio de 2016. Um decreto de 2015 veta que os ministros usem os equipamentos da FAB para irem às suas residências. Porém, de acordo com Mendonça, todas as utilizações foram em agendas oficiais. "Todas as vezes que vim para Pernambuco usando avião da FAB, sempre obedeci a necessidade de ter agenda no Estado. A grande maioria das vezes que vim para Pernambuco, foi em avião de carreira", diz. "Sou muito cauteloso e rígido nesse tipo de uso e só faço dentro das regras estabelecidas na legislação federal", completa.

Serra Talhada

A cidade, que é governada pelo prefeito petista Luciano Duque, é uma das escolhidas para a agenda oficial de Mendonça nos próximos dias. De acordo com ele, o trabalho do Ministério não faz escolhas partidárias na hora de escolher os locais que serão atendidos. "Estamos inaugurando um IF, o campus do Instituto Federal do Sertão que estava com obras paralisadas e até abril vamos inaugurar a expansão da Universidade Federal Rural de Pernambuco em Serra Talhada", diz.

Sisu

No final da entrevista, Mendonça Filho comentou a prorrogação do prazo para inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O prazo, que terminaria nesta sexta-feira (27), foi estendido para às 23h59 do domingo (29). O resultado está mantido para a segunda-feira (30). "Infelizmente a infraestrutura de informática não é moderna o suficiente para suportar a carga", diz. De acordo com o Ministério da Educação, o sistema recebeu, até 18h desta quinta-feira, 2.090.451 inscritos.

Ainda de acordo com o MEC, "as inconsistências encontradas no sistema, que dificultavam o acesso de candidatos das primeira e segunda aplicações, foram sanadas". Caso o candidato tenha problemas para acessar o sistema, deve entrar em contato com o MEC pelo 0800 61 61 61 ou pelo ouvidoria@mec.gov.br.

Audioteca

Vindas constantes ao Recife não são pecado, diz Mendonça Filho



Publicado em 27/01/2017, às 11:13


Rádio Jornal
Foto: Sérgio Bernardo/ Arquivo JC Imagem


Em entrevista à Rádio Jornal, o ministro da Educação Mendonça Filho (DEM) comentou a reportagem da Folha de São Paulo, na qual se afirma que 1 em cada cinco compromissos do Democrata aconteceu em Pernambuco. De acordo com a reportagem, Mendonça é cotado para disputar o cargo de governador em 2018 e teria aberto um escritório do MEC no Recife para garantir a permanência no Estado.

[uolmais_audio 16124908]

Para o ministro, não existe problema algum em estar no Estado sempre nas segundas ou sextas-feiras. "Não é nenhum pecado trabalhar por Pernambuco", disse. Coincidentemente, ele chegou nessa quinta-feira (26) ao Recife e acompanha o presidente Michel Temer nas agendas oficiais a Floresta e Serra Talhada, em Pernambuco, na semana que vem.

» Mendonça Filho diz que não é hora de falar em eleição de Temer
» Mendonça Filho diz que Enem pode sofrer aprimoramentos
» "Não há nenhuma chance de eliminar a redação do Enem", diz ministro

Mendonça ainda se mostra irritado com as informações veiculadas pela reportagem. "O que ocorre é que eu moro em resido em Pernambuco. Eu como ministro de Estado tenho direito de, semanalmente, vir para Pernambuco onde reside minha esposa e filha", disse. "A análise da Folha de São Paulo é precária e tendenciosa. Se você fizer uma avaliação de qualquer outro ministro de Estado que resida em São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná ou qualquer outro estado, você vai verificar que eles vão para suas cidades nos finais de semana", completa.

Sobre a candidatura para o Governo do Estado, Menodnça disse que a "cabeça está voltada para trabalhar pela educação". "Não tenho nenhuma preocupação do ponto de vista eleitoral. Essa especulação de candidatura é pura alimentação de pessoas que querem jogar terra no nosso caminho", completa. Na última vez em que se candidatou a governador, em 2006, Mendonça disputou o segundo turno com Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em 2014, e ficou com 34,64% dos votos.

Avião da FAB

Mendonça Filho também justificou o uso dos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) em 17 oportunidades, desde que se tornou ministro, em maio de 2016. Um decreto de 2015 veta que os ministros usem os equipamentos da FAB para irem às suas residências. Porém, de acordo com Mendonça, todas as utilizações foram em agendas oficiais. "Todas as vezes que vim para Pernambuco usando avião da FAB, sempre obedeci a necessidade de ter agenda no Estado. A grande maioria das vezes que vim para Pernambuco, foi em avião de carreira", diz. "Sou muito cauteloso e rígido nesse tipo de uso e só faço dentro das regras estabelecidas na legislação federal", completa.

Serra Talhada

A cidade, que é governada pelo prefeito petista Luciano Duque, é uma das escolhidas para a agenda oficial de Mendonça nos próximos dias. De acordo com ele, o trabalho do Ministério não faz escolhas partidárias na hora de escolher os locais que serão atendidos. "Estamos inaugurando um IF, o campus do Instituto Federal do Sertão que estava com obras paralisadas e até abril vamos inaugurar a expansão da Universidade Federal Rural de Pernambuco em Serra Talhada", diz.

Sisu

No final da entrevista, Mendonça Filho comentou a prorrogação do prazo para inscrição no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O prazo, que terminaria nesta sexta-feira (27), foi estendido para às 23h59 do domingo (29). O resultado está mantido para a segunda-feira (30). "Infelizmente a infraestrutura de informática não é moderna o suficiente para suportar a carga", diz. De acordo com o Ministério da Educação, o sistema recebeu, até 18h desta quinta-feira, 2.090.451 inscritos.

Ainda de acordo com o MEC, "as inconsistências encontradas no sistema, que dificultavam o acesso de candidatos das primeira e segunda aplicações, foram sanadas". Caso o candidato tenha problemas para acessar o sistema, deve entrar em contato com o MEC pelo 0800 61 61 61 ou pelo ouvidoria@mec.gov.br.