Audioteca | DEBATE

Especialista alerta para aumento das DSTs após carnaval


No Debate da Super Manhã desta quinta-feira, convidados falaram sobre os riscos das doenças que surgem durante o carnaval e como o folião pode se prevenir

Publicado em 23/02/2017, às 13:24


Rádio Jornal

É tempo de festa. Mas também é momento de cuidar da saúde. O carnaval concentra milhares de pessoas nas festas e o folião está sujeito a ser afetado por várias doenças, como gripes e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). Para falar sobre os riscos e alertar a população, o Debate da Super Manhã desta quinta-feira (23) falou sobre o otorrino Tiago Bezerra, o pneumologista Murilo Guimarães e o epidemiologista George Trigueiro.

Rádio Jornal

Tiago Bezerra fala sobre as doenças que mais acometem as pessoas neste período. “As infecções de vias aéreas superiores, como as gripes e resfriados. Elas enchem os nossos prontos socorros”, destacou doutor Tiago Bezerra “A higiene básica do dia a dia é um principal fator de proteção para não adoecer no carnaval”, alertou o otorrino.



Por conta da grande quantidade de pessoas circulando nos espaços e o contato muito próximo, isso aumenta as chances de a pessoa adoecer.  

O epidemiologista se preocupa com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). “Um evento desse que junta muitas pessoas e muitas vezes abusam da bebida, perdem o senso da responsabilidade, nós temos a preocupação que está havendo o aumento de AIDS entre os jovens”, explicou doutor George Trigueiro. “As doenças sexuais transmissíveis, após o carnaval, elas se apresentam com muito mais frequência. Como a simples gonorreia, como HPV, herpes (labial e genital) e a sífilis”, completou. “A orientação principal é o uso do preservativo”, alertou, lembrando ainda que sobre a higienização, é importante lavar as mãos.

Confira os detalhes:

Audioteca

Especialista alerta para aumento das DSTs após carnaval



Publicado em 23/02/2017, às 13:24


Rádio Jornal

É tempo de festa. Mas também é momento de cuidar da saúde. O carnaval concentra milhares de pessoas nas festas e o folião está sujeito a ser afetado por várias doenças, como gripes e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). Para falar sobre os riscos e alertar a população, o Debate da Super Manhã desta quinta-feira (23) falou sobre o otorrino Tiago Bezerra, o pneumologista Murilo Guimarães e o epidemiologista George Trigueiro.

[IMAGEM]

Tiago Bezerra fala sobre as doenças que mais acometem as pessoas neste período. “As infecções de vias aéreas superiores, como as gripes e resfriados. Elas enchem os nossos prontos socorros”, destacou doutor Tiago Bezerra “A higiene básica do dia a dia é um principal fator de proteção para não adoecer no carnaval”, alertou o otorrino.

Por conta da grande quantidade de pessoas circulando nos espaços e o contato muito próximo, isso aumenta as chances de a pessoa adoecer.  

O epidemiologista se preocupa com as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). “Um evento desse que junta muitas pessoas e muitas vezes abusam da bebida, perdem o senso da responsabilidade, nós temos a preocupação que está havendo o aumento de AIDS entre os jovens”, explicou doutor George Trigueiro. “As doenças sexuais transmissíveis, após o carnaval, elas se apresentam com muito mais frequência. Como a simples gonorreia, como HPV, herpes (labial e genital) e a sífilis”, completou. “A orientação principal é o uso do preservativo”, alertou, lembrando ainda que sobre a higienização, é importante lavar as mãos.

Confira os detalhes:

[uolmais_audio 16147455]

[uolmais_audio 16147457]

[uolmais_audio 16147458]