Audioteca | Debate

O PSB não oferece um presente, quanto mais um futuro, diz Armando


Líder do PTB no senado, Armando Monteiro confirmou que estará no campo da oposição ao PSB nas eleições de 2018 e criticou o projeto dos socialistas em PE

Publicado em 15/09/2017, às 12:04


Rádio Jornal

Bobby Fabisack/JC Imagem

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou que o projeto do PSB para Pernambuco está 'esgotado' e que os socialistas não são capazes de oferecer um futuro ao Estado. Em entrevista à Rádio Jornal, na manhã desta sexta-feira (15), o político confirmou que estará no campo da oposição nas eleições de 2018 para o Governo do Estado, que deve ser encabeçado por PSDB e DEM. 

"Eu já estava postado no campo da oposição e algumas forças foram deslocadas para lá. Claro que vou conversar com essas forças, com muito respeito as figuras de lá. Esse conjunto de atores políticos, na medida que se deslocaram para o campo da oposição, revelam a Pernambuco um projeto novo. Esse projeto do PSB está esgotado, não tem projeto novo para oferecer a Pernambuco. Não é capaz de oferecer um presente, quanto mais um futuro", disse Armando Monteiro. 

O líder do PTB no senado expressou o desejo de uma conversa com as siglas que devem formar a oposição em Pernambuco, mas deixou claro que nenhum diálogo foi aberto até o momento.



"Se tem um lado indicado para mim é que sou oposição em Pernambuco. Se para esse campo se desloquem PMDB e DEM, eu vou conversar com esse grupo. Nãohá nenhuma aliança, nenhuma conversa. É preciso ter cuidado com essa conversa de quem é candidato a que. Nós vamos no reunir para que? Para oferecer a Pernambuco alguma coisa. Pode ser que isso não aconteça e se expresse em mais de uma candidatura, mas isso não está definido. Estou plantado no campo da oposição em Pernambuco", disse o senador. 

Chegada de FBC ao PMDB

Sobre mudança de sigla do senador Fernando Bezerra Coelho, saindo do PSB para o PMDB, que gerou críticas do ex-governador Jarbas Vasconcelos ao ex-socialista e dividiu a executiva estadual peemedebista, Armando preferiu fugir da polêmica e reiterou o desejo de FBC em construir uma oposição em Pernambuco. 

"Não acompanho esse processo. É um processo interno do PMDB. Reconheço que a sigla vive um estremecimento nacional. Vi uma entrevista de Jarbas dando um caráter de que o senador é muito bem-vindo, tudo naquele momento faria crer que uma assimilação de Jarbas, que teceu maiores elogios a FBC. Num segundo momento, essa coisa tomou outro rumo e assistimos essa diáspora que contrapõe a executiva nacional com a executiva nacional. Portanto, vamos aguardar. Uma coisa é certa: FBC não ingressaria no PMDB para ficar à sombra. FBC tem reiterado que quer construir um processo de oposição ao PSB", comentou Armando. 

Confira o debate com Armando Monteiro na íntegra


Audioteca

O PSB não oferece um presente, quanto mais um futuro, diz Armando



Publicado em 15/09/2017, às 12:04


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O senador Armando Monteiro (PTB-PE) afirmou que o projeto do PSB para Pernambuco está 'esgotado' e que os socialistas não são capazes de oferecer um futuro ao Estado. Em entrevista à Rádio Jornal, na manhã desta sexta-feira (15), o político confirmou que estará no campo da oposição nas eleições de 2018 para o Governo do Estado, que deve ser encabeçado por PSDB e DEM. 

"Eu já estava postado no campo da oposição e algumas forças foram deslocadas para lá. Claro que vou conversar com essas forças, com muito respeito as figuras de lá. Esse conjunto de atores políticos, na medida que se deslocaram para o campo da oposição, revelam a Pernambuco um projeto novo. Esse projeto do PSB está esgotado, não tem projeto novo para oferecer a Pernambuco. Não é capaz de oferecer um presente, quanto mais um futuro", disse Armando Monteiro. 

O líder do PTB no senado expressou o desejo de uma conversa com as siglas que devem formar a oposição em Pernambuco, mas deixou claro que nenhum diálogo foi aberto até o momento.

"Se tem um lado indicado para mim é que sou oposição em Pernambuco. Se para esse campo se desloquem PMDB e DEM, eu vou conversar com esse grupo. Nãohá nenhuma aliança, nenhuma conversa. É preciso ter cuidado com essa conversa de quem é candidato a que. Nós vamos no reunir para que? Para oferecer a Pernambuco alguma coisa. Pode ser que isso não aconteça e se expresse em mais de uma candidatura, mas isso não está definido. Estou plantado no campo da oposição em Pernambuco", disse o senador. 

Chegada de FBC ao PMDB

Sobre mudança de sigla do senador Fernando Bezerra Coelho, saindo do PSB para o PMDB, que gerou críticas do ex-governador Jarbas Vasconcelos ao ex-socialista e dividiu a executiva estadual peemedebista, Armando preferiu fugir da polêmica e reiterou o desejo de FBC em construir uma oposição em Pernambuco. 

"Não acompanho esse processo. É um processo interno do PMDB. Reconheço que a sigla vive um estremecimento nacional. Vi uma entrevista de Jarbas dando um caráter de que o senador é muito bem-vindo, tudo naquele momento faria crer que uma assimilação de Jarbas, que teceu maiores elogios a FBC. Num segundo momento, essa coisa tomou outro rumo e assistimos essa diáspora que contrapõe a executiva nacional com a executiva nacional. Portanto, vamos aguardar. Uma coisa é certa: FBC não ingressaria no PMDB para ficar à sombra. FBC tem reiterado que quer construir um processo de oposição ao PSB", comentou Armando. 

Confira o debate com Armando Monteiro na íntegra