Notícia | DECISÃO

Justiça condena dois dos cinco réus do caso Manoel Mattos


Advogado foi morto há seis anos, no município de Pitimbu, na Paraíba. Tanto a promotoria quanto a defesa prometem recorrer da decisão

Publicado em 16/04/2015, às 00:00

Da Rádio Jornal, atualizado às 6h33
publicado por Houldine Nascimento
Manoel Mattos foi morto em janeiro de 2009 após denunciar grupos de extermínio na divisa entre Pernambuco e a Paraíba. Foto: reprodução/arquivo pessoal


A população recifense vivenciou, nos últimos dias, o primeiro julgamento federalizado do Brasil. No fim da noite desta quarta-feira (15), a juíza da 36ª Vara Federal de Pernambuco, Carolina Souza Malta, chegou a um veredito sobre o caso envolvendo a morte do advogado Manoel Mattos Neto, assassinado há seis anos, no município de Pitimbu, na Paraíba.

Dois dos cinco réus foram condenados. O sargento reformado da PM da Paraíba, Flávio Inácio Pereira, apontado como um dos mandantes da execução, foi condenado a 26 anos de prisão. Já José Martins, apontado como executor, vai cumprir 25 anos em regime fechado.

Sérgio Paulo da Silva, que teria sido um dos executores, e José Nilson Borges, apontado como o dono das armas, foram inocentados. Embora Cláudio Roberto Borges fosse apontado como mandante do crime, ele também foi inocentado. Tanto a promotoria quanto a defesa prometem recorrer da decisão. Saiba mais na reportagem de Elen Carvalho:

A pedido da família, o julgamento saiu da esfera estadual e passou a ser julgado em âmbito federal. O Fórum Ministro Artur Marinho, no bairro do Jiquiá, Zona Oeste do Recife, sediou a audiência nessa terça-feira (13) e nesta quarta, último dia do julgamento.

Comentários

Notícia

Justiça condena dois dos cinco réus do caso Manoel Mattos



Publicado em 16/04/2015, às 00:00


Da Rádio Jornal, atualizado às 6h33
publicado por Houldine Nascimento
Manoel Mattos foi morto em janeiro de 2009 após denunciar grupos de extermínio na divisa entre Pernambuco e a Paraíba. Foto: reprodução/arquivo pessoal


A população recifense vivenciou, nos últimos dias, o primeiro julgamento federalizado do Brasil. No fim da noite desta quarta-feira (15), a juíza da 36ª Vara Federal de Pernambuco, Carolina Souza Malta, chegou a um veredito sobre o caso envolvendo a morte do advogado Manoel Mattos Neto, assassinado há seis anos, no município de Pitimbu, na Paraíba.

Dois dos cinco réus foram condenados. O sargento reformado da PM da Paraíba, Flávio Inácio Pereira, apontado como um dos mandantes da execução, foi condenado a 26 anos de prisão. Já José Martins, apontado como executor, vai cumprir 25 anos em regime fechado.

Sérgio Paulo da Silva, que teria sido um dos executores, e José Nilson Borges, apontado como o dono das armas, foram inocentados. Embora Cláudio Roberto Borges fosse apontado como mandante do crime, ele também foi inocentado. Tanto a promotoria quanto a defesa prometem recorrer da decisão. Saiba mais na reportagem de Elen Carvalho:

A pedido da família, o julgamento saiu da esfera estadual e passou a ser julgado em âmbito federal. O Fórum Ministro Artur Marinho, no bairro do Jiquiá, Zona Oeste do Recife, sediou a audiência nessa terça-feira (13) e nesta quarta, último dia do julgamento.