Notícia | REVOLTA

Familiares prometem acionar o Estado por morte de jovem baleado por policial militar


O corpo de Alisson Campos da Silva, de 20 anos, foi sepultado no Cemitério da Saudade

Publicado em 22/12/2015, às 15:03

Da Rádio Jornal
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

O Cemitério da Saudade em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, recebeu centenas pessoas para a despedida do jovem Alisson Campos da Silva, de 20 anos.  

Entre os amigos e familiares pesa a dor de ter a vida do jovem tirada pelas mãos de um policial militar. Entre homenagens e orações, a certeza de que o policial Dídimo Batista da Silva poderia ter utilizado a cautela. 

Em nome da família, o tio da vítima, José Alexandre disse que vai procurar a justiça. “Nós pretendemos entrar com uma ação contra o estado. A festa de fim de ano da gente, o natal da gente é isso que eles deram pra gente. Governador, essa é a polícia que o senhor coloca na rua pra tomar conta da gente?”, lamentou José. 

Confira na reportagem de Rafael Carneiro: 

As manifestações de indignação também foram trazidas por integrantes da Torcida Organizada Inferno Coral, do Santa Cruz, time do coração Alisson. Dois ônibus lotados levaram membros da agremiação. Gisely Freitas lembra com carinho do amigo. “Vi ele ainda essa semana. Eu tava na Estação do Recife e ele me deu um abraço muito forte. Era como se ele soubesse”. 

O operador de máquinas Alisson Campos da Silva morreu ao ser atingido nas costas pelo policial quando foi atender o celular em um semáforo da Avenida Agamenon Magalhães no último domingo (21). No momento do disparo a vítima estava na garupa da moto do primo.

Em nota, a Polícia Militar informou que o carona da moto anunciou o assalto e fez menção de atirar. A arma e o veículo usados no momento do crime estão passando por perícia e ele permanece desempenhando as atividades normais.

Comentários

Notícia

Familiares prometem acionar o Estado por morte de jovem baleado por policial militar



Publicado em 22/12/2015, às 15:03


Da Rádio Jornal
Foto: Rafael Carneiro/ Rádio Jornal

O Cemitério da Saudade em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, recebeu centenas pessoas para a despedida do jovem Alisson Campos da Silva, de 20 anos.  

Entre os amigos e familiares pesa a dor de ter a vida do jovem tirada pelas mãos de um policial militar. Entre homenagens e orações, a certeza de que o policial Dídimo Batista da Silva poderia ter utilizado a cautela. 

Em nome da família, o tio da vítima, José Alexandre disse que vai procurar a justiça. “Nós pretendemos entrar com uma ação contra o estado. A festa de fim de ano da gente, o natal da gente é isso que eles deram pra gente. Governador, essa é a polícia que o senhor coloca na rua pra tomar conta da gente?”, lamentou José. 

Confira na reportagem de Rafael Carneiro: 

[uolmais_audio 15715790]

As manifestações de indignação também foram trazidas por integrantes da Torcida Organizada Inferno Coral, do Santa Cruz, time do coração Alisson. Dois ônibus lotados levaram membros da agremiação. Gisely Freitas lembra com carinho do amigo. “Vi ele ainda essa semana. Eu tava na Estação do Recife e ele me deu um abraço muito forte. Era como se ele soubesse”. 

O operador de máquinas Alisson Campos da Silva morreu ao ser atingido nas costas pelo policial quando foi atender o celular em um semáforo da Avenida Agamenon Magalhães no último domingo (21). No momento do disparo a vítima estava na garupa da moto do primo.

Em nota, a Polícia Militar informou que o carona da moto anunciou o assalto e fez menção de atirar. A arma e o veículo usados no momento do crime estão passando por perícia e ele permanece desempenhando as atividades normais.