Notícia | DELAÇÃO PREMIADA

Delação de Sérgio Machado atinge Temer e Aécio


Ex-presidente da Transpetro acusou o presidente interino e o senador de corrupção

Publicado em 16/06/2016, às 11:00

Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Planalto divulgou nota negando a participação de Temer em esquemas de corrupção. Foto: Reprodução


A delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, continua fazendo vítimas. Depois de Renan Calheiros, Romero Jucá, José Sarney e Eduardo Cunha, a casa caiu para o presidente interino Michel Temer e o senador Aécio Neves. No total, as denúncias de Machado já afetam o PMDB, Democratas, PSDB, Partido Progressista, PT e o PCdoB. 

Sérgio Machado disse que Temer teria acertado o recebimento de R$ 1,5 milhão para ajudar na campanha do candidato à prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, quatro anos atrás. Já Aécio teria recebido recursos para viabilizar a própria candidatura à presidência da Câmara dos Deputados em 2000. Além disso, políticos como Sarney e Renan Calheiros foram acusados de receber mesadas da corrupção.

Em nota, o Palácio do Planalto negou que Temer tenha se envolvido com corrupção e que o presidente interino "jamais permitiu arrecadação fora dos ditames da Lei, seja para si, para o partido e muito menos para candidatos que apoiou em disputas". Aécio chamou as denúncias de "falsas, mentirosas e caluniosas". Saiba mais no flash de Romoaldo de Souza:

Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Delação de Sérgio Machado atinge Temer e Aécio



Publicado em 16/06/2016, às 11:00


Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Planalto divulgou nota negando a participação de Temer em esquemas de corrupção. Foto: Reprodução


A delação premiada do ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, continua fazendo vítimas. Depois de Renan Calheiros, Romero Jucá, José Sarney e Eduardo Cunha, a casa caiu para o presidente interino Michel Temer e o senador Aécio Neves. No total, as denúncias de Machado já afetam o PMDB, Democratas, PSDB, Partido Progressista, PT e o PCdoB. 

Sérgio Machado disse que Temer teria acertado o recebimento de R$ 1,5 milhão para ajudar na campanha do candidato à prefeitura de São Paulo, Gabriel Chalita, quatro anos atrás. Já Aécio teria recebido recursos para viabilizar a própria candidatura à presidência da Câmara dos Deputados em 2000. Além disso, políticos como Sarney e Renan Calheiros foram acusados de receber mesadas da corrupção.

Em nota, o Palácio do Planalto negou que Temer tenha se envolvido com corrupção e que o presidente interino "jamais permitiu arrecadação fora dos ditames da Lei, seja para si, para o partido e muito menos para candidatos que apoiou em disputas". Aécio chamou as denúncias de "falsas, mentirosas e caluniosas". Saiba mais no flash de Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 15897780]