Notícia | PEDALADAS

Documento não identifica participação direta de Dilma em pedaladas fiscais


Mesmo assim, a presidente afastada teve apontada participação na edição de decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional

Publicado em 28/06/2016, às 10:51

Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


A comissão do impeachment no Senado debateu na última segunda-feira (27) um documento de autoria de técnicos da perícia do Senado Federal que aponta a participação da presidente afastada Dilma Rousseff na edição de decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional. O mesmo documento não identifica a participação direta de Dilma na decisão de atrasar pagamentos da União com bancos públicos - as chamadas pedaladas fiscais.

Para o líder do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima, mesmo com a auditoria mostrando que Dilma não teve ação direta para cometer as pedaladas, a presidente eleita era responsável pelo que a equipe de ministros fazia. Também ontem, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) informou que vai continuar na comissão e quer saber os motivos que levaram a Polícia Federal a invadir a casa dela e prender o marido, Paulo Bernardo. "Eu fico me perguntando por que fazer essa ação midiática. Não tinha justificativa", comentou.

Durante a sessão no Senado, um apagão em Brasília deixou parte da Esplanada dos Ministérios, Palácio do Planalto, Supremo Tribunal Federal e o Congresso no escuro. Por volta das 20h, a luz foi restabelecida, mas a companhia energética não tinha concluído o estudo sobre as causas do blackout. Ouça mais notícias de Brasília no flash de Romoaldo de Souza:

 

Recomendados para você

Comentários

Notícia

Documento não identifica participação direta de Dilma em pedaladas fiscais



Publicado em 28/06/2016, às 10:51


Rádio Jornal
Postado por Rebeca Montenegro
Foto: Reprodução


A comissão do impeachment no Senado debateu na última segunda-feira (27) um documento de autoria de técnicos da perícia do Senado Federal que aponta a participação da presidente afastada Dilma Rousseff na edição de decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional. O mesmo documento não identifica a participação direta de Dilma na decisão de atrasar pagamentos da União com bancos públicos - as chamadas pedaladas fiscais.

Para o líder do PSDB, o senador Cássio Cunha Lima, mesmo com a auditoria mostrando que Dilma não teve ação direta para cometer as pedaladas, a presidente eleita era responsável pelo que a equipe de ministros fazia. Também ontem, a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) informou que vai continuar na comissão e quer saber os motivos que levaram a Polícia Federal a invadir a casa dela e prender o marido, Paulo Bernardo. "Eu fico me perguntando por que fazer essa ação midiática. Não tinha justificativa", comentou.

Durante a sessão no Senado, um apagão em Brasília deixou parte da Esplanada dos Ministérios, Palácio do Planalto, Supremo Tribunal Federal e o Congresso no escuro. Por volta das 20h, a luz foi restabelecida, mas a companhia energética não tinha concluído o estudo sobre as causas do blackout. Ouça mais notícias de Brasília no flash de Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 15910167]