Notícia | POLÊMICA

Candidatos dizem que vaivém na Justiça prejudicou concurso da UFRPE


Ministério Público Federal pediu cancelamento das provas de acordo com edital, que exigia experiência para a equipe realizadora das provas. UFRPE recorreu e garantiu realização das provas

Publicado em 10/07/2016, às 17:42

Rádio Jornal
Postado por Luiza Falcão
Foto: Marcela Maranhão/Rádio Jornal


Reportagem de Marcela Maranhão

Candidatos ao concurso aberto pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) realizaram, neste domingo (10), provas para os cargos como os de auxiliar administrativo e assistente em administração. Na última sexta-feira (8), o juiz federal Isaac Batista havia suspendido a realização do concurso em relação a estes dois cargos.

Porém, o presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, Rogério Fialho, sustou a decisão da Justiça Federal, confirmando a realização das provas objetivas. Maria Eduarda Lima, que concorre a uma vaga de assistente administrativo, acredita que, por causa da suspensão, muitos candidatos foram prejudicados.

Para Gilberto Fernandes, que também disputa por um cargo de assistente administrativo, a suspensão da prova causou transtornos principalmente para candidatos que vinham de outras cidades. Para ele, esses candidatos podem até ter perdido a prova realizada neste domingo.

SUSPENSÃO 

O Ministério Público Federal ajuizou uma ação civil pública na Primeira Vara Federal de Pernambuco para suspender a realização das provas, apenas para os cargos de auxiliar administrativo e assistente em administração, e o juiz federal Isaac Batista acolheu esse pedido. Para ele, os requisitos exigidos pela instituição de ensino não estavam de acordo com os princípios da igualdade e da impessoalidade, já que a UFRPE exigia experiência mínima de 12 meses.
O Ministério Público recorreu à Justiça Federal com o intuito de reabrir o prazo de inscrições, desta vez, sem exigir experiência. Com isso, a Universidade ingressou no Tribunal Regional Federal pedindo que a decisão da Justiça Federal fosse suspensa, e o TRF acabou mantendo a realização das provas.

Publicidade

Comentários

Notícia

Candidatos dizem que vaivém na Justiça prejudicou concurso da UFRPE



Publicado em 10/07/2016, às 17:42


Rádio Jornal
Postado por Luiza Falcão
Foto: Marcela Maranhão/Rádio Jornal


Reportagem de Marcela Maranhão

Candidatos ao concurso aberto pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) realizaram, neste domingo (10), provas para os cargos como os de auxiliar administrativo e assistente em administração. Na última sexta-feira (8), o juiz federal Isaac Batista havia suspendido a realização do concurso em relação a estes dois cargos.

[uolmais_audio 15923318]

Porém, o presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, Rogério Fialho, sustou a decisão da Justiça Federal, confirmando a realização das provas objetivas. Maria Eduarda Lima, que concorre a uma vaga de assistente administrativo, acredita que, por causa da suspensão, muitos candidatos foram prejudicados.

Para Gilberto Fernandes, que também disputa por um cargo de assistente administrativo, a suspensão da prova causou transtornos principalmente para candidatos que vinham de outras cidades. Para ele, esses candidatos podem até ter perdido a prova realizada neste domingo.

SUSPENSÃO 

O Ministério Público Federal ajuizou uma ação civil pública na Primeira Vara Federal de Pernambuco para suspender a realização das provas, apenas para os cargos de auxiliar administrativo e assistente em administração, e o juiz federal Isaac Batista acolheu esse pedido. Para ele, os requisitos exigidos pela instituição de ensino não estavam de acordo com os princípios da igualdade e da impessoalidade, já que a UFRPE exigia experiência mínima de 12 meses.
O Ministério Público recorreu à Justiça Federal com o intuito de reabrir o prazo de inscrições, desta vez, sem exigir experiência. Com isso, a Universidade ingressou no Tribunal Regional Federal pedindo que a decisão da Justiça Federal fosse suspensa, e o TRF acabou mantendo a realização das provas.