Notícia | PROTESTO

“Selvageria”, diz Mendonça sobre condução dos protestos contra PEC 55


De acordo com o ministro da Educação, Mendonça Filho, o prédio do MEC foi depredado pelos manifestantes nesta terça-feira (29)

Publicado em 29/11/2016, às 19:23

Rádio Jornal
Foto: JC Imagem 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, foi entrevistado pelo comunicador, Ednaldo Santos, na noite desta terça-feira (29) na Rádio Jornal e falou sobre as ações dos manifestantes nos prédio do Ministério do Governo. De acordo com o ministro, sete prédios foram invadidos e depredados, inclusive o do Ministério da Educação. “O MEC, no primeiro andar e segundo andar foi fortemente atingido, com vidros quebrados, sistemas de câmeras todos também quebrados e computadores, cadeiras... Tocaram fogo aqui num amontoado de papel e papelão na frente do ministério”, comentou.

Confira a entrevista na íntegra:
 

Cerca de 10 mil manifestantes realizaram os protestos na Esplanada dos Ministério, desde a tarde desta terça-feira, em Brasília. O ato é contra a votação da PEC 55, que ocorre no Senado e vai limitar os gastos do governo pelos próximos 20 anos. 

O ministro ainda disse que em uma democracia todos podem reivindicar, mas sem a violência. “A violência, ela não pode ser tolerada e admitida em qualquer que seja a circunstâncias e infelizmente alguns baderneiros, misturados com manifestantes e de forma deliberada vieram apenas para produzir o terror”, disse. 

Confira o vídeo:

 Mendonça Filho, emitou uma nota sobre o acontecimento. Confira na íntegra:

"O ministro da Educação, Mendonça Filho, condenou de forma veemente os fatos ocorridos hoje na Esplanada dos Ministérios, particularmente no MEC, que foi invadido por mascarados com pedaços de ferro e pedras, destruindo móveis,computadores, cadeiras, vidraças, divisórias e depredando outros bens públicos. "Os servidores do MEC viveram clima de terror. Isso é inaceitável. Como democrata que sou, entendo o direito de protesto, mas de forma civilizada, respeitando o direito de ir e ir. O que vimos hoje foram atos de violência e vandalismo contra os servidores públicos e contra o patrimônio", afirmou.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) publicou uma nota sobre a atuação da Polícia Militar no ato em Brasília. Veja na íntegra: 

"A União Nacional dos Estudantes afirma que a manifestação organizada pelos movimentos estudantis e sociais neste dia 29 de novembro em Brasília foi um ato pacífico, democrático e livre contra a PEC 55, que está em votação no Senado.
Não incentivamos qualquer tipo de depredação do patrimônio público ou violência. Em meio aos mais de 50 mil manifestantes, o que nos assusta e nos deixa perplexos é a polícia militar do governador Rolemberg (DF) jogar bombas de efeito moral, gás de pimenta, cavalaria e balas de borracha contra estudantes, alguns menores de idade, que protestavam pacificamente. Isso nada mais é do que o reflexo de um governo autoritário, ilegítimo e que não tem um mínimo de senso de diálogo."

Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

“Selvageria”, diz Mendonça sobre condução dos protestos contra PEC 55



Publicado em 29/11/2016, às 19:23


Rádio Jornal
Foto: JC Imagem 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, foi entrevistado pelo comunicador, Ednaldo Santos, na noite desta terça-feira (29) na Rádio Jornal e falou sobre as ações dos manifestantes nos prédio do Ministério do Governo. De acordo com o ministro, sete prédios foram invadidos e depredados, inclusive o do Ministério da Educação. “O MEC, no primeiro andar e segundo andar foi fortemente atingido, com vidros quebrados, sistemas de câmeras todos também quebrados e computadores, cadeiras... Tocaram fogo aqui num amontoado de papel e papelão na frente do ministério”, comentou.

Confira a entrevista na íntegra:
[uolmais_audio 16074262] 

Cerca de 10 mil manifestantes realizaram os protestos na Esplanada dos Ministério, desde a tarde desta terça-feira, em Brasília. O ato é contra a votação da PEC 55, que ocorre no Senado e vai limitar os gastos do governo pelos próximos 20 anos. 

O ministro ainda disse que em uma democracia todos podem reivindicar, mas sem a violência. “A violência, ela não pode ser tolerada e admitida em qualquer que seja a circunstâncias e infelizmente alguns baderneiros, misturados com manifestantes e de forma deliberada vieram apenas para produzir o terror”, disse. 

Confira o vídeo:

 Mendonça Filho, emitou uma nota sobre o acontecimento. Confira na íntegra:

"O ministro da Educação, Mendonça Filho, condenou de forma veemente os fatos ocorridos hoje na Esplanada dos Ministérios, particularmente no MEC, que foi invadido por mascarados com pedaços de ferro e pedras, destruindo móveis,computadores, cadeiras, vidraças, divisórias e depredando outros bens públicos. "Os servidores do MEC viveram clima de terror. Isso é inaceitável. Como democrata que sou, entendo o direito de protesto, mas de forma civilizada, respeitando o direito de ir e ir. O que vimos hoje foram atos de violência e vandalismo contra os servidores públicos e contra o patrimônio", afirmou.

A União Nacional dos Estudantes (UNE) publicou uma nota sobre a atuação da Polícia Militar no ato em Brasília. Veja na íntegra: 

"A União Nacional dos Estudantes afirma que a manifestação organizada pelos movimentos estudantis e sociais neste dia 29 de novembro em Brasília foi um ato pacífico, democrático e livre contra a PEC 55, que está em votação no Senado.
Não incentivamos qualquer tipo de depredação do patrimônio público ou violência. Em meio aos mais de 50 mil manifestantes, o que nos assusta e nos deixa perplexos é a polícia militar do governador Rolemberg (DF) jogar bombas de efeito moral, gás de pimenta, cavalaria e balas de borracha contra estudantes, alguns menores de idade, que protestavam pacificamente. Isso nada mais é do que o reflexo de um governo autoritário, ilegítimo e que não tem um mínimo de senso de diálogo."