Notícia | CONSULTÓRIO

Especialistas discutem sobre transplante de medula óssea


Graça Araújo recebeu as hematologistas Carolina Militão e Mariana Coutinho para falar sobre o Fevereiro Laranja, mês da campanha de conscientização do transplante de medula óssea

Publicado em 22/02/2017, às 20:17

Rádio Jornal

Rádio Jornal

O transplante de medula óssea, que tem o Fevereiro Laranja como o mês da campanha de conscientização, é tema do Consultório desta quarta-feira (22). No ano passado, 13 pessoas estavam na fila de espera. Sobre o assunto, a comunicadora Graça Araújo recebeu as hematologistas Carolina Militão e Mariana Coutinho.

Confira o Consultório na íntegra:

O TRANSPLANTE

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.



O procedimento é como uma transfusão de sangue, ele dura em média 2 horas. Essa nova medula é rica em células chamadas progenitoras, que uma vez na corrente sanguínea, circulam e vão se alojar na medula óssea, onde se desenvolvem. O paciente, depois de se submeter a um tratamento que destruirá a sua própria medula, recebe as células da medula sadia de um doador.

Recomendados para você

Comentários

Notícia

Especialistas discutem sobre transplante de medula óssea



Publicado em 22/02/2017, às 20:17


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O transplante de medula óssea, que tem o Fevereiro Laranja como o mês da campanha de conscientização, é tema do Consultório desta quarta-feira (22). No ano passado, 13 pessoas estavam na fila de espera. Sobre o assunto, a comunicadora Graça Araújo recebeu as hematologistas Carolina Militão e Mariana Coutinho.

Confira o Consultório na íntegra:
[uolmais_audio 16146694]
[uolmais_audio 16146695]

O TRANSPLANTE

O transplante de medula óssea é um tipo de tratamento proposto para algumas doenças que afetam as células do sangue, como as leucemias e os linfomas. Consiste na substituição de uma medula óssea doente, ou deficitária, por células normais da medula óssea, com o objetivo de reconstituição de uma nova medula saudável.

O procedimento é como uma transfusão de sangue, ele dura em média 2 horas. Essa nova medula é rica em células chamadas progenitoras, que uma vez na corrente sanguínea, circulam e vão se alojar na medula óssea, onde se desenvolvem. O paciente, depois de se submeter a um tratamento que destruirá a sua própria medula, recebe as células da medula sadia de um doador.