Notícia | CARNE FRACA

Governo tenta evitar embargo de parceiros contra carnes brasileiras


União Europeia, Coreia do Sul, China e Chile anunciaram embargo de carne brasileira das empresas envolvidas na fraude do seto

Publicado em 20/03/2017, às 19:30

Rádio Jornal

Blairo Maggi / Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Foto: Reprodução / Internet

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, negou a suspensão da importação da carne brasileira para União Europeia, Coreia do Sul e Chile. O ministro disse ainda que tentará pôr fim ao embargo da carne brasileira pela China. Ele deve participar de uma videoconferência com autoridades chinesas na noite desta segunda-feira (20), para falar as medidas que o governo está tomando, após a operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

Confira mais detalhes na reportagem de Romoaldo de Souza:

Segundo o Ministério da Agricultura, a China decidiu reter temporariamente as mercadorias brasileiras nos portos do país até que o governo brasileiro apresente explicações mais detalhadas.

» Economista avalia impacto da operação Carne Fraca no mercado econômico
» Operação Carne Fraca: carne de cabeça de porco era usada em linguiça



Até o momento, não houve deliberação sobre o embargo temporário do Chile. A Coreia do Sul anunciou que decidiu intensificar as fiscalizações de carne de frango importada do Brasil e também baniu temporariamente as vendas de produtos de frango da BRF, maior produtora de carne de frango do mundo.

Já a União Europeia, pediu nesta segunda-feira que as autoridades brasileiras suspendam as empresas exportadores investigadas pela Polícia Federal. O bloco também pediu que todos os seus Estados-membros incrementem o monitoramento da carne brasileira que chegue ao bloco econômico.

PARCEIROS

A União Europeia é um dos principais compradores da carne brasileira, após o bloco vem Hong Kong, China, Egito, Rússia e Irã.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Governo tenta evitar embargo de parceiros contra carnes brasileiras



Publicado em 20/03/2017, às 19:30


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, negou a suspensão da importação da carne brasileira para União Europeia, Coreia do Sul e Chile. O ministro disse ainda que tentará pôr fim ao embargo da carne brasileira pela China. Ele deve participar de uma videoconferência com autoridades chinesas na noite desta segunda-feira (20), para falar as medidas que o governo está tomando, após a operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

Confira mais detalhes na reportagem de Romoaldo de Souza:

[uolmais_audio 16168922]

Segundo o Ministério da Agricultura, a China decidiu reter temporariamente as mercadorias brasileiras nos portos do país até que o governo brasileiro apresente explicações mais detalhadas.

» Economista avalia impacto da operação Carne Fraca no mercado econômico
» Operação Carne Fraca: carne de cabeça de porco era usada em linguiça

Até o momento, não houve deliberação sobre o embargo temporário do Chile. A Coreia do Sul anunciou que decidiu intensificar as fiscalizações de carne de frango importada do Brasil e também baniu temporariamente as vendas de produtos de frango da BRF, maior produtora de carne de frango do mundo.

Já a União Europeia, pediu nesta segunda-feira que as autoridades brasileiras suspendam as empresas exportadores investigadas pela Polícia Federal. O bloco também pediu que todos os seus Estados-membros incrementem o monitoramento da carne brasileira que chegue ao bloco econômico.

PARCEIROS

A União Europeia é um dos principais compradores da carne brasileira, após o bloco vem Hong Kong, China, Egito, Rússia e Irã.