Notícia | ECONOMIA E NEGÓCIOS

Subir impostos para cumprir meta fiscal, diz Ministro da Fazenda


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, cravou nesta quinta-feira (23) que o governo elevará impostos para cumprir a meta fiscal deste ano

Publicado em 24/03/2017, às 14:43

Rádio Jornal

Reprodução/Rádio Jornal

O Ministro da Fazenda afirmou que uma parte do rombo de R$ 58,2 bilhões para o cumprimento da meta de deficit primário deste ano será coberta com aumento de impostos já existentes."Uma parte dessa diferença será cumprida com mais cortes de gastos e uma parte será aumento de impostos", disse ele, citando, por exemplo, PIS/Cofins e a reoneração de algumas isenções fiscais que foram concedidas e que não tiveram efeito produtivo segundo ele, como desonerações a alguns setores.



O economista Ecio Costa comentou a declaração do ministro na Coluna Economia e Negócios

Questionado sobre a diminuição da meta de inflação e da margem de tolerância para o avanço de preços na economia, Meirelles reconheceu haver possibilidade de mudança. O tema será definido em junho, quando o alvo de 2019 será definido em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).


Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Subir impostos para cumprir meta fiscal, diz Ministro da Fazenda



Publicado em 24/03/2017, às 14:43


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O Ministro da Fazenda afirmou que uma parte do rombo de R$ 58,2 bilhões para o cumprimento da meta de deficit primário deste ano será coberta com aumento de impostos já existentes."Uma parte dessa diferença será cumprida com mais cortes de gastos e uma parte será aumento de impostos", disse ele, citando, por exemplo, PIS/Cofins e a reoneração de algumas isenções fiscais que foram concedidas e que não tiveram efeito produtivo segundo ele, como desonerações a alguns setores.

O economista Ecio Costa comentou a declaração do ministro na Coluna Economia e Negócios
[uolmais_audio 16172779]

Questionado sobre a diminuição da meta de inflação e da margem de tolerância para o avanço de preços na economia, Meirelles reconheceu haver possibilidade de mudança. O tema será definido em junho, quando o alvo de 2019 será definido em reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN).