Notícia | Vacinação

Casos de síndrome respiratória aumentam a necessidade de vacinas


Mais de 280 pacientes foram identificados com a síndrome respiratória aguda grave

Publicado em 19/04/2017, às 13:57

Rádio Jornal
Atualizado às 14h51

Foto: JC Imagem

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou 280 casos da síndrome respiratória aguda grave em Pernambuco. Desses, 29 foram positivos para influenza A, H3N2, vírus que faz parte da composição da vacina contra a influenza, que começou a ser disponibilizada para os profissionais de saúde na última segunda-feira. Para os demais públicos prioritários, a vacinação começa na próxima segunda, dia 24, seguindo até o dia 26 de maio. O dia “D” está marcado para 13 de maio. Ao todo, serão mais de dois milhões de pessoas contempladas com a imunização no estado.



Neste ano, a meta é vacinar, no mínimo, 90% da população total. Além do vírus da influenza H3N2, a vacinação protege contra H1N1, que não teve casos confirmados neste ano, além da B. Podem se vacinar profissionais de saúde, idosos, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população carcerária e funcionários do sistema prisional, além de professores dos ensinos básico e superior de escolas públicas e privadas.


Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Casos de síndrome respiratória aumentam a necessidade de vacinas



Publicado em 19/04/2017, às 13:57


Rádio Jornal
Atualizado às 14h51

[IMAGEM]

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou 280 casos da síndrome respiratória aguda grave em Pernambuco. Desses, 29 foram positivos para influenza A, H3N2, vírus que faz parte da composição da vacina contra a influenza, que começou a ser disponibilizada para os profissionais de saúde na última segunda-feira. Para os demais públicos prioritários, a vacinação começa na próxima segunda, dia 24, seguindo até o dia 26 de maio. O dia “D” está marcado para 13 de maio. Ao todo, serão mais de dois milhões de pessoas contempladas com a imunização no estado.

Neste ano, a meta é vacinar, no mínimo, 90% da população total. Além do vírus da influenza H3N2, a vacinação protege contra H1N1, que não teve casos confirmados neste ano, além da B. Podem se vacinar profissionais de saúde, idosos, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, população carcerária e funcionários do sistema prisional, além de professores dos ensinos básico e superior de escolas públicas e privadas.