Notícia | FEMINICÍDIO

Família não se conforma com assassinato de recepcionista pelo marido


Regina Paula foi morta a facadas pelo marido dentro da casa onde o casal morou por 15 anos. O assassinato pode ser classificado como feminicídio

Publicado em 20/04/2017, às 12:29

Rádio Jornal

Corpo de Regina Paula Cabral da Costa está no IML. Foto: Clemilson Campos/ Acervo JC Imagem
Corpo de Regina Paula Cabral da Costa está no IML. Foto: Clemilson Campos/ Acervo JC Imagem

A recepcionista Regina Paula Cabral da Costa, de 39 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-marido na tarde dessa quarta-feira (18). De acordo com a família, o homem, que não teve o nome divulgado era possessivo e não aceitava o fim do relacionamento.

O crime aconteceu na casa onde Regina morou com o companheiro por mais de 15 anos, em Curcurana, Jaboatão dos Guararapes. O corpo de Regina Cabral está no Instituto de Medicina Legal do Recife. Saiba mais na reportagem de Juliana Oliveira:

De acordo com irmão da vítima Paulo André, afirma que Regina voltou para casa para buscar roupas e documentos e foi agredida pelo ex-marido. Após ser esfaqueada, a recepcionista chegou a ser socorrida no Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, onde morreu na sala de cirurgia.



O velório e o enterro do corpo de Regina Paula Cabral da Costa estão marcados a tarde desta quinta-feira no Cemitério Público de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. A família da recepcionista está em choque.

Feminicídio

É uma tipificação do crime de homicídio qualificado e se caracteriza pelo assassinato de uma mulher pelo fato dela ser mulher, em decorrência da violência doméstica, ou pela dominação do homem sobre a mulher. Em última instância, o feminicídio significa o controle sobre a vida e a morte.

A pena para um crime de homicídio é de 6 a 20 anos. No caso do homicídio qualificado, incluindo o feminicídio, a pena vai de 12 a 30 anos. A pena é aumentada em até um terço, se for cometido na frente de menores de 14 anos.


Recomendados para você

Publicidade

Comentários

Notícia

Família não se conforma com assassinato de recepcionista pelo marido



Publicado em 20/04/2017, às 12:29


Rádio Jornal

[IMAGEM]

A recepcionista Regina Paula Cabral da Costa, de 39 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-marido na tarde dessa quarta-feira (18). De acordo com a família, o homem, que não teve o nome divulgado era possessivo e não aceitava o fim do relacionamento.

O crime aconteceu na casa onde Regina morou com o companheiro por mais de 15 anos, em Curcurana, Jaboatão dos Guararapes. O corpo de Regina Cabral está no Instituto de Medicina Legal do Recife. Saiba mais na reportagem de Juliana Oliveira:

[uolmais_audio 16196459]

De acordo com irmão da vítima Paulo André, afirma que Regina voltou para casa para buscar roupas e documentos e foi agredida pelo ex-marido. Após ser esfaqueada, a recepcionista chegou a ser socorrida no Hospital Dom Helder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, onde morreu na sala de cirurgia.

O velório e o enterro do corpo de Regina Paula Cabral da Costa estão marcados a tarde desta quinta-feira no Cemitério Público de Ponte dos Carvalhos, no Cabo de Santo Agostinho. A família da recepcionista está em choque.

Feminicídio

É uma tipificação do crime de homicídio qualificado e se caracteriza pelo assassinato de uma mulher pelo fato dela ser mulher, em decorrência da violência doméstica, ou pela dominação do homem sobre a mulher. Em última instância, o feminicídio significa o controle sobre a vida e a morte.

A pena para um crime de homicídio é de 6 a 20 anos. No caso do homicídio qualificado, incluindo o feminicídio, a pena vai de 12 a 30 anos. A pena é aumentada em até um terço, se for cometido na frente de menores de 14 anos.