Notícia | LAJA JATO

Delator da JBS diz ter pago propina a Paulo, Geraldo e FBC


Segundo o delator da JBS, Ricardo Saud, ele teria negociado pagamento de propina na campanha de 2014 com Paulo Câmara e Geraldo Julio

Publicado em 19/05/2017, às 16:30

Rádio Jornal
Atualizado às 17h25

Foto: Divulgação

O esquema de pagamento de propina pago pela JBS chegou à Pernambuco. O delator Ricardo Saud afirmou em delação à força-tarefa da Operação Lava Jato que negociou o pagamento de propina na campanha de 2014 com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e com o prefeito do Recife, Geraldo Julio; ambos do PSB.

Segundo Ricardo Saud, tudo começou com um acerto para pagar R$ 15 milhões para a campanha presidencial do ex-governador Eduardo Campos, falecido em agosto de 2014. A delação envolve também o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB).

Doações da JBS não constam nas contas oficiais de Paulo e FBC

As informações foram publicadas pela matéria publicada pelo repórter Paulo Veras, do Jornal do Commercio.

Confira trecho da delação: 

Após a morte de Eduardo, Saud conta que foi procurado por Geraldo Julio pedindo para que fosse honrado o pagamento do que havia sido negociado com Eduardo. O objetivo era vencer a eleição pelo governo de Pernambuco.



Foto: Divulgação

Segundo o delator da JBS, o senador Fernando Bezerra Coelho também se favoreceu do acordo. Ele indicou uma empresa que teria
pago R$ 1 milhão em 02 de setembro de 2014. "O Fernando Bezerra foi beneficiado. Essa nota fiscal aqui de R$ 1 milhão foi
para ele", afirmou Saud.

Resposta do FBC

A defesa do senador, representada pelo advogado André Luiz Callegari, afirma que todas as doações para a campanha de Fernando Bezerra Coelho ao Senado foram devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. A defesa do parlamentar, que não teve acessos aos referidos autos, repudia as declarações unilaterais divulgadas e ratifica que elas não correspondem à verdade.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Delator da JBS diz ter pago propina a Paulo, Geraldo e FBC



Publicado em 19/05/2017, às 16:30


Rádio Jornal
Atualizado às 17h25

[IMAGEM]

O esquema de pagamento de propina pago pela JBS chegou à Pernambuco. O delator Ricardo Saud afirmou em delação à força-tarefa da Operação Lava Jato que negociou o pagamento de propina na campanha de 2014 com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e com o prefeito do Recife, Geraldo Julio; ambos do PSB.

Segundo Ricardo Saud, tudo começou com um acerto para pagar R$ 15 milhões para a campanha presidencial do ex-governador Eduardo Campos, falecido em agosto de 2014. A delação envolve também o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB).

Doações da JBS não constam nas contas oficiais de Paulo e FBC

As informações foram publicadas pela matéria publicada pelo repórter Paulo Veras, do Jornal do Commercio.

Confira trecho da delação: 

Após a morte de Eduardo, Saud conta que foi procurado por Geraldo Julio pedindo para que fosse honrado o pagamento do que havia sido negociado com Eduardo. O objetivo era vencer a eleição pelo governo de Pernambuco.

[IMAGEM2]

Segundo o delator da JBS, o senador Fernando Bezerra Coelho também se favoreceu do acordo. Ele indicou uma empresa que teria
pago R$ 1 milhão em 02 de setembro de 2014. "O Fernando Bezerra foi beneficiado. Essa nota fiscal aqui de R$ 1 milhão foi
para ele", afirmou Saud.

Resposta do FBC

A defesa do senador, representada pelo advogado André Luiz Callegari, afirma que todas as doações para a campanha de Fernando Bezerra Coelho ao Senado foram devidamente declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral. A defesa do parlamentar, que não teve acessos aos referidos autos, repudia as declarações unilaterais divulgadas e ratifica que elas não correspondem à verdade.