Notícia | JUSTIÇA

Familiares se despedem de pedreiro morto por PMs no Pina


O pedreiro de 30 anos foi morto durante uma ação da Polícia Militar no sábado (17), no Pina. A polícia diz que foi recebida a balas, família nega

Publicado em 19/06/2017, às 11:10

Rádio Jornal

Foto: Reprodução/ TV Jornal

A Polícia Civil investiga a morte do pedreiro Ramon Gonçalves Cavalcanti, de 30 anos, morto durante uma operação da Polícia Militar na comunidade do Bode, no Pina, Zona Sul do Recife, no último sábado (17). 

Ele estava em frente de casa na Rua Ventura Rodrigues. Os familiares contam que um homem estava sendo perseguido por policiais militares que efetuaram vários disparos.

O corpo dele está sendo velado no Cemitério Parque das Flores, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste do Recife. O enterro será realizado às 15h.

A cunhada da vítima, Meridiane Silva, falou sobre a tristeza da família. “A dor que a gente tá sentindo não tem nem o que explicar, o que falar. Quem já perdeu sabe o que a gente está sentindo”, disse.



Ela reforça que o pedreiro era inocente. “Ele tinha acabado de chegar do armazém com meu irmão (...) Poucos minutos que meu irmão foi falar com o vizinho de lado, a viatura chega. Aí tem um menino de lá que está foragido, viu a polícia ele tem que correr mesmo”, contou. “Eu vi na hora que botaram ele na mala feito um cachorro”, relatou.

Em depoimento, os policiais militares envolvidos na ação afirmaram que foram recebidos a bala e apenas revidaram. O resultado do exame residuográfico nas mãos do pedreiro que também era ex-presidiário vai tirar as dúvidas da Polícia Civil.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Medo de retaliação

Essa é a segunda morte de morador do bode, no Pina, na Zona Sul do Recife, no intervalo de menos de uma semana. Os parentes de Esdras Henrique Teles, de 19 anos, denunciam que ele foi executado por integrantes da Radio Patrulha.

O clima na comunidade do Bode é de apreensão por conta de uma possível retaliação pela morte do sargento Ricardo Sales. O colega na incursão em Peixinhos, Olinda, o cabo Isnaldo Ferreira da Silva continua internado em estado grave no Hospital Miguel Arraes.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Familiares se despedem de pedreiro morto por PMs no Pina



Publicado em 19/06/2017, às 11:10


Rádio Jornal

[IMAGEM]

A Polícia Civil investiga a morte do pedreiro Ramon Gonçalves Cavalcanti, de 30 anos, morto durante uma operação da Polícia Militar na comunidade do Bode, no Pina, Zona Sul do Recife, no último sábado (17). 

Ele estava em frente de casa na Rua Ventura Rodrigues. Os familiares contam que um homem estava sendo perseguido por policiais militares que efetuaram vários disparos.

O corpo dele está sendo velado no Cemitério Parque das Flores, no bairro de Tejipió, na Zona Oeste do Recife. O enterro será realizado às 15h.

A cunhada da vítima, Meridiane Silva, falou sobre a tristeza da família. “A dor que a gente tá sentindo não tem nem o que explicar, o que falar. Quem já perdeu sabe o que a gente está sentindo”, disse.

Ela reforça que o pedreiro era inocente. “Ele tinha acabado de chegar do armazém com meu irmão (...) Poucos minutos que meu irmão foi falar com o vizinho de lado, a viatura chega. Aí tem um menino de lá que está foragido, viu a polícia ele tem que correr mesmo”, contou. “Eu vi na hora que botaram ele na mala feito um cachorro”, relatou.

Em depoimento, os policiais militares envolvidos na ação afirmaram que foram recebidos a bala e apenas revidaram. O resultado do exame residuográfico nas mãos do pedreiro que também era ex-presidiário vai tirar as dúvidas da Polícia Civil.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

[uolmais_audio 16247361]

Medo de retaliação

Essa é a segunda morte de morador do bode, no Pina, na Zona Sul do Recife, no intervalo de menos de uma semana. Os parentes de Esdras Henrique Teles, de 19 anos, denunciam que ele foi executado por integrantes da Radio Patrulha.

O clima na comunidade do Bode é de apreensão por conta de uma possível retaliação pela morte do sargento Ricardo Sales. O colega na incursão em Peixinhos, Olinda, o cabo Isnaldo Ferreira da Silva continua internado em estado grave no Hospital Miguel Arraes.