Notícia | TRANSTORNOS

Um mês após chuvas fortes, Rio Formoso padece sem serviços essenciais


A cidade de Rio Formoso, na Zona da Mata Sul do Estado, foi fortemente afetada pelas chuvas e o único hospital da cidade permanece desativado

Publicado em 27/06/2017, às 17:48

Rádio Jornal

Foto: Juliana Oliveira/ Rádio Jornal

Após um mês das chuvas que caíram em Pernambuco e castigaram dezenas de cidades no Estado, Rio Formoso, na Zona da Mata Sul, volta a se reerguer. A região e o Agreste foram as mais afetadas pelos efeitos da chuva. 

Senhor Manoel Getúlio, mora na Rua da Lama, no centro de Rio Formoso, relata o drama. “Perdi ferramenta, material, algumas peças que já estavam prontas, muitas coisas. Mas graças a Deus eu estou me recuperando. Está tudo bem. Já está tudo enxuto, a água baixou, a lama não tem mais a quantidade que tinha”, tranquilizou.

No comércio, as lojas já estão abertas, mas o movimento é fraco. Senhor Manoel Ramos negocia há anos e lamenta que devido a enchente ainda está no prejuízo.

Escolas

Centenas de desabrigados ficaram sem ter para onde ir e precisaram ficar em escolas de Rio Formoso.

As escolas que abrigaram famílias durante semanas, já retomaram as atividades e os alunos não terão as férias de julho para poder compensar os dias perdidos.



Hospital

Hospital de Campanha não te previsão para sair de Rio Formoso - Foto: Juliana Oliveira/ Rádio Jornal

O único hospital de Rio Formoso, no entanto, ainda está sem funcionar. De acordo com a prefeitura, não há condições de reerguer a unidade hospitalar, onde também funcionava a maternidade, e um novo hospital deverá ser construído.

Ainda não prazo para a construção desse novo hospital. Enquanto isso, os moradores de Rio Formoso continuarão sendo atendidos pelo Hospital de Campanha montado às margens da rodovia pelo Exército em parceria com o governo.

 Desde o dia em que foi instalado, 2 de junho, o hospital já 2.106 atendimentos. De acordo com o Major Salvino do Exército, o Hospital de Campanha ainda não tem data definida para encerrar as atividades.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

Reestruturada

A prefeita da cidade Isabel Hacker acredita que em breve a situação de Rio Formoso está normalizada. “Tenho certeza que a gente vai conseguir sair dessa situação. Tenho certeza que a gente vai voltar muito mais forte e, se Deus quiser, melhor do que a gente estava antes”, disse. Ela colocou um prazo de 60 dias para reestruturar a cidade.

Durante os dias de chuva, Rio Formoso acumulou aproximadamente 300 ml de água, 391 pessoas ficaram desabrigadas e 1.657 desalojadas.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

Um mês após chuvas fortes, Rio Formoso padece sem serviços essenciais



Publicado em 27/06/2017, às 17:48


Rádio Jornal

[IMAGEM]

Após um mês das chuvas que caíram em Pernambuco e castigaram dezenas de cidades no Estado, Rio Formoso, na Zona da Mata Sul, volta a se reerguer. A região e o Agreste foram as mais afetadas pelos efeitos da chuva. 

Senhor Manoel Getúlio, mora na Rua da Lama, no centro de Rio Formoso, relata o drama. “Perdi ferramenta, material, algumas peças que já estavam prontas, muitas coisas. Mas graças a Deus eu estou me recuperando. Está tudo bem. Já está tudo enxuto, a água baixou, a lama não tem mais a quantidade que tinha”, tranquilizou.

No comércio, as lojas já estão abertas, mas o movimento é fraco. Senhor Manoel Ramos negocia há anos e lamenta que devido a enchente ainda está no prejuízo.

Escolas

Centenas de desabrigados ficaram sem ter para onde ir e precisaram ficar em escolas de Rio Formoso.

As escolas que abrigaram famílias durante semanas, já retomaram as atividades e os alunos não terão as férias de julho para poder compensar os dias perdidos.

Hospital

[IMAGEM2]

O único hospital de Rio Formoso, no entanto, ainda está sem funcionar. De acordo com a prefeitura, não há condições de reerguer a unidade hospitalar, onde também funcionava a maternidade, e um novo hospital deverá ser construído.

Ainda não prazo para a construção desse novo hospital. Enquanto isso, os moradores de Rio Formoso continuarão sendo atendidos pelo Hospital de Campanha montado às margens da rodovia pelo Exército em parceria com o governo.

 Desde o dia em que foi instalado, 2 de junho, o hospital já 2.106 atendimentos. De acordo com o Major Salvino do Exército, o Hospital de Campanha ainda não tem data definida para encerrar as atividades.

Confira os detalhes na reportagem de Juliana Oliveira:

[uolmais_audio 16254741]

Reestruturada

A prefeita da cidade Isabel Hacker acredita que em breve a situação de Rio Formoso está normalizada. “Tenho certeza que a gente vai conseguir sair dessa situação. Tenho certeza que a gente vai voltar muito mais forte e, se Deus quiser, melhor do que a gente estava antes”, disse. Ela colocou um prazo de 60 dias para reestruturar a cidade.

Durante os dias de chuva, Rio Formoso acumulou aproximadamente 300 ml de água, 391 pessoas ficaram desabrigadas e 1.657 desalojadas.