Interior | Sertão

Família acusa hospital de negligência por morte de recém-nascido em Petrolina


Shislane Cavalcanti, grávida de gêmeos, perdeu um dos bebês após dar entrada no hospital IMIP/Dom Malan, em Petrolina

Publicado em 10/08/2017, às 10:00

Rádio Jornal

Divulgação/Google Maps
Divulgação/Google Maps

Shislane Cavalcanti, 25, que estava grávida de gêmeos, perdeu um dos filhos na manhã desta quarta-feira (9) no hospital IMIP/Dom Malan, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. A família da jovem acusa a unidade de saúde de negligência no atendimento, que deu entrada para realizar uma cesárea no último sábado (5). 

Saiba mais sobre o caso em Petrolina

"Levaram ela para uma sala. Ela ficou do lado de fora, depois para dentro e ficaram naquele processo, até que veio essa fatalidade. Queriam induzir ela a ter parto normal. Eu a família não vamos nos cansar, vamos rodar onde for, vamos denunciar, pois isso é uma pouca vergonha", disse Pedro Portugal, cunhado de Shislane. 

Confira a nota na íntegra do IMIP/Dom Malan

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina, informa que a paciente Shislane Milhomes Cavalcante deu entrada na unidade materno-infantil no dia 05 de agosto (sábado), onde foi verificado através de ultrassom e exames clínicos uma gestação gemelar de 37 semanas, com 5 cm de dilatação, bolsa íntegra e ausência de trabalho de parto; tendo a paciente evoluído até o dia 08 (terça-feira) com o mesmo quadro.

Somente hoje (09) pela manhã, às 6h40, a paciente entrou realmente em trabalho de parto, quando foi reavaliada mais uma vez pela equipe médica e indicada a cesariana por precaução, que aconteceu 20 minutos depois, às 7h da manhã.



Infelizmente um dos bebês nasceu grave e veio à óbito pela possível causa de hipóxia intrauterina, provavelmente provocada pela própria complicação da gestação gemelar, que por si só já apresenta riscos em dobro.

A equipe médica do hospital ressalta que o caso trata-se de uma fatalidade, já que nenhuma situação de agravo foi identificada na evolução da paciente. Em momento algum, mãe e bebês apresentaram sinais de alteração que pudessem indicar uma situação de risco ou apontar um desfecho desfavorável.

Em tempo, o Hospital Dom Malan solidariza-se com a família, se coloca à disposição para maiores esclarecimentos e ressalta que toda a assistência necessária continua sendo prestada. Mãe e bebê vivo passam bem.

Com informações do Blog do Banana


Recomendados para você

Comentários

Interior

Família acusa hospital de negligência por morte de recém-nascido em Petrolina



Publicado em 10/08/2017, às 10:00


Rádio Jornal

[IMAGEM]

Shislane Cavalcanti, 25, que estava grávida de gêmeos, perdeu um dos filhos na manhã desta quarta-feira (9) no hospital IMIP/Dom Malan, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. A família da jovem acusa a unidade de saúde de negligência no atendimento, que deu entrada para realizar uma cesárea no último sábado (5). 

Saiba mais sobre o caso em Petrolina

"Levaram ela para uma sala. Ela ficou do lado de fora, depois para dentro e ficaram naquele processo, até que veio essa fatalidade. Queriam induzir ela a ter parto normal. Eu a família não vamos nos cansar, vamos rodar onde for, vamos denunciar, pois isso é uma pouca vergonha", disse Pedro Portugal, cunhado de Shislane. 

Confira a nota na íntegra do IMIP/Dom Malan

O Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina, informa que a paciente Shislane Milhomes Cavalcante deu entrada na unidade materno-infantil no dia 05 de agosto (sábado), onde foi verificado através de ultrassom e exames clínicos uma gestação gemelar de 37 semanas, com 5 cm de dilatação, bolsa íntegra e ausência de trabalho de parto; tendo a paciente evoluído até o dia 08 (terça-feira) com o mesmo quadro.

Somente hoje (09) pela manhã, às 6h40, a paciente entrou realmente em trabalho de parto, quando foi reavaliada mais uma vez pela equipe médica e indicada a cesariana por precaução, que aconteceu 20 minutos depois, às 7h da manhã.

Infelizmente um dos bebês nasceu grave e veio à óbito pela possível causa de hipóxia intrauterina, provavelmente provocada pela própria complicação da gestação gemelar, que por si só já apresenta riscos em dobro.

A equipe médica do hospital ressalta que o caso trata-se de uma fatalidade, já que nenhuma situação de agravo foi identificada na evolução da paciente. Em momento algum, mãe e bebês apresentaram sinais de alteração que pudessem indicar uma situação de risco ou apontar um desfecho desfavorável.

Em tempo, o Hospital Dom Malan solidariza-se com a família, se coloca à disposição para maiores esclarecimentos e ressalta que toda a assistência necessária continua sendo prestada. Mãe e bebê vivo passam bem.

Com informações do Blog do Banana