Notícia | Chesf

É um crime contra o Nordeste, diz ex-deputado do PT sobre privatização da Chesf


Fernando Ferro criticou a decisão do ministro de Minas e Energia Fernando Filho em privatizar a Chesf

Publicado em 23/08/2017, às 14:25

Rádio Jornal

Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O ex-deputado federal pelo PT, Fernando Ferro, criticou a decisão do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), pela proposta de privatizar a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). O político esteve no plenário da Câmara do Recife, nesta quarta-feira (23), junto com representantes da Chesf e ex-presidentes da companhia para discutir os impactos da privatização da empresa, em sessão convocada pela vereadora Marília Arraes (PT). 

"Uma iniciativa que vai deslocar o centro de decisão da maior empresa geradora de energia do Brasil, integralmente brasileira, para outra região. É um apelo que faço aos governadores da região sobre a perda de importância política, transferência de emprego, conhecimento, renda e serviços, que isso pode acontecer com a privatização da CHESF. Lamentável que quem está conduzindo isso é um pernambucano, o ministro de minas e energia, não sei assessorado por quem. Isso é um crime contra a nossa região", disse Fernando Ferro. 



Saiba mais sobre a sessão que discutiu a privatização da Chesf

O governo federal está analisando a possibilidade de privatizar a Chesf. Os dados de como ocorreria esse processo está numa consulta pública de reestruturação do setor elétrico que o Ministério de Minas e Energia (MME) publicou no seu site nesta quarta-feira. A intenção da União é fazer novas concessões com um prazo de 30 anos, privatizando as geradoras que tiveram as suas concessões prorrogadas pela Lei Federal 12.783 de janeiro de 2013, como é o caso da estatal nordestina.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

É um crime contra o Nordeste, diz ex-deputado do PT sobre privatização da Chesf



Publicado em 23/08/2017, às 14:25


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O ex-deputado federal pelo PT, Fernando Ferro, criticou a decisão do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), pela proposta de privatizar a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf). O político esteve no plenário da Câmara do Recife, nesta quarta-feira (23), junto com representantes da Chesf e ex-presidentes da companhia para discutir os impactos da privatização da empresa, em sessão convocada pela vereadora Marília Arraes (PT). 

"Uma iniciativa que vai deslocar o centro de decisão da maior empresa geradora de energia do Brasil, integralmente brasileira, para outra região. É um apelo que faço aos governadores da região sobre a perda de importância política, transferência de emprego, conhecimento, renda e serviços, que isso pode acontecer com a privatização da CHESF. Lamentável que quem está conduzindo isso é um pernambucano, o ministro de minas e energia, não sei assessorado por quem. Isso é um crime contra a nossa região", disse Fernando Ferro. 

Saiba mais sobre a sessão que discutiu a privatização da Chesf

O governo federal está analisando a possibilidade de privatizar a Chesf. Os dados de como ocorreria esse processo está numa consulta pública de reestruturação do setor elétrico que o Ministério de Minas e Energia (MME) publicou no seu site nesta quarta-feira. A intenção da União é fazer novas concessões com um prazo de 30 anos, privatizando as geradoras que tiveram as suas concessões prorrogadas pela Lei Federal 12.783 de janeiro de 2013, como é o caso da estatal nordestina.