Notícia

PF prende Wesley Batista empresário do grupo JBS


Publicado em 13/09/2017, às 07:15

Rádio Jornal

Foto: Reprodução / Youtube

O empresário da JBS Wesley Batista foi preso nesta quarta-feira (13), de acordo com a revista Veja. Segundo a reportagem, a ordem foi expedida pela Justiça Federal de São Paulo. Seu irmão Joesley Batista, que foi preso neste domingo (10), também é alvo da operação e tem mais um mandado de prisão.

Os agentes cumprem ordens de uma investigação aberta pela PF de São Paulo, para apurar se o empresário e seu irmão usaram a própria delação premiada para ganhar dinheiro no mercado financeiro.



Operação Tendão de Aquiles

A publicação afirma que, no pedido de prisão, os investigadores enfatizam a existência de provas fartas para comprovar que os dois executivos agiram pessoalmente, negociando ações do grupo e contratos futuros de dólares, dias antes da mais polêmica delação da Operação Lava Jato vir à tona.

Batizada de Tendão de Aquiles, a operação também investiga o diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis e Silva, a advogada Fernanda Tórtima, contratada pela empresa, e o ex-procurador da República Marcello Miller, que integrou o grupo de trabalho montado para auxiliar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Lava Jato.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

PF prende Wesley Batista empresário do grupo JBS



Publicado em 13/09/2017, às 07:15


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O empresário da JBS Wesley Batista foi preso nesta quarta-feira (13), de acordo com a revista Veja. Segundo a reportagem, a ordem foi expedida pela Justiça Federal de São Paulo. Seu irmão Joesley Batista, que foi preso neste domingo (10), também é alvo da operação e tem mais um mandado de prisão.

Os agentes cumprem ordens de uma investigação aberta pela PF de São Paulo, para apurar se o empresário e seu irmão usaram a própria delação premiada para ganhar dinheiro no mercado financeiro.

Operação Tendão de Aquiles

A publicação afirma que, no pedido de prisão, os investigadores enfatizam a existência de provas fartas para comprovar que os dois executivos agiram pessoalmente, negociando ações do grupo e contratos futuros de dólares, dias antes da mais polêmica delação da Operação Lava Jato vir à tona.

Batizada de Tendão de Aquiles, a operação também investiga o diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis e Silva, a advogada Fernanda Tórtima, contratada pela empresa, e o ex-procurador da República Marcello Miller, que integrou o grupo de trabalho montado para auxiliar o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na Lava Jato.