Notícia | ESPORTES

"Não me vejo nos Jogos de Tóquio 2020", diz Yane Marques


Yane Marques foi a entrevistada do "Frequência 2.0" e falou sobre futuro da carreira

Publicado em 30/09/2017, às 10:59

Rádio Jornal
Rafael Souza e Ravi Soares

Reprodução/Rádio Jornal

Corajosa, determinada e feliz da vida. Essa é Yane Marques, atleta conhecida no Brasil inteiro e única medalhista olímpica no Pentatlo moderno em toda a América Latina. A pernambucana foi a entrevistada do programa "Frequência 2.0" desta sexta-feira (29).

"As pessoas acham que a gente não cansa"

Bronze nos Jogos de Londres 2012 e ouro no Pan do Rio 2007, Yane Marques é o maior nome do Pentatlo moderno brasileiro. Durante a entrevista a atleta falou como entrou no esporte, através da natação. Ela recordou que era colega da nadadora Joana Maranhão e que foi escolhida para desenvolver as outras quatro modalidades do esporte, além da natação: corrida, esgrima, hipismo e tiro.

"Hipismo é o meu favorito", afirmou, lembrando que é natural de Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, onde passou toda a infância e adorava montar a cavalo. Yane veio para o Recife aos 11 anos e passou a treinar natação no Clube Náutico Capibaribe.

No cargo de secretária executiva de esportes do Recife, Yane Marques lembrou dos rumores de que se aposentaria. "Anunciar aposentadoria é uma coisa muito delicada, as pessoas acham que a gente não cansa", disse ao sinalizar que ainda não chegou a hora de parar.

Ela afirma que realmente está sem treinador e com uma dinâmica diferente, mas que nunca vai parar de treinar. Contudo, acredita que não está mais no ritmo para voltar à rotina de grandes competições: "Hoje, eu não me vejo nos Jogos de Tóquio 2020", afirmou. Ela participou de três olimpíadas (Pequim 2008, Londres 2012, onde foi medalhista, e Rio 2016).



"Não sou candidata"

A pentatleta afirma que vem gostando muito da experiência como secretaria executiva de esportes da Prefeitura do Recife e que acredita que o esporte pode "transformar a vida das pessoas". Apesar disso, não é filiada a nenhum partido político e não pretende se candidatar nas eleições do próximo ano.

Simpática, Yane Marques se define como "caseira" e como uma pessoa muito organizada. Ao relembrar a conquista do Bronze em 2012 disse que foi a grande realização de um sonho. Ela também disse jamais esperar que seria escolhida como porta-bandeira do Brasil justamente nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro.

A atleta Yane Marques com os apresentadores Ravi Soares e Rafael Souza A atleta Yane Marques com os apresentadores Ravi Soares e Rafael Souza
Reprodução/Rádio Jornal

Dieta da rede social e mais

O "Frequência 2.0" também entrou no ritmo da dieta da rede social, um projeto que reúne a vontade fazer exercícios físicos com os amigos das redes sociais. A ideia é do jornalista pernambucano Marcus Andrey, que já perdeu 40 quilos e está contando essa história através de dois e-books (livros digitais).

Já na coluna "Sexo e relacionamento", a sexóloga Silvana Melo derruba mitos sobre a masturbação. Já a astróloga Angela Brainner fala da influência do planeta Vênus na vida de todo mundo na coluna "Astros e Estrelas".

Apresentado pelos jornalistas Rafael Souza e Ravi Soares, o "Frequência 2.0" é transmitido toda sexta-feira, às 23h, com reprise nos domingos, às 21h. Dúvidas e sugestões podem ser enviadas pelo frequencia@radiojornal.com.br ou nas redes sociais da Rádio Jornal.


Recomendados para você

Comentários

Notícia

"Não me vejo nos Jogos de Tóquio 2020", diz Yane Marques



Publicado em 30/09/2017, às 10:59


Rádio Jornal
Rafael Souza e Ravi Soares

[IMAGEM]

Corajosa, determinada e feliz da vida. Essa é Yane Marques, atleta conhecida no Brasil inteiro e única medalhista olímpica no Pentatlo moderno em toda a América Latina. A pernambucana foi a entrevistada do programa "Frequência 2.0" desta sexta-feira (29).

[uolmais_audio 16323259]

"As pessoas acham que a gente não cansa"

Bronze nos Jogos de Londres 2012 e ouro no Pan do Rio 2007, Yane Marques é o maior nome do Pentatlo moderno brasileiro. Durante a entrevista a atleta falou como entrou no esporte, através da natação. Ela recordou que era colega da nadadora Joana Maranhão e que foi escolhida para desenvolver as outras quatro modalidades do esporte, além da natação: corrida, esgrima, hipismo e tiro.

"Hipismo é o meu favorito", afirmou, lembrando que é natural de Afogados da Ingazeira, no Sertão de Pernambuco, onde passou toda a infância e adorava montar a cavalo. Yane veio para o Recife aos 11 anos e passou a treinar natação no Clube Náutico Capibaribe.

No cargo de secretária executiva de esportes do Recife, Yane Marques lembrou dos rumores de que se aposentaria. "Anunciar aposentadoria é uma coisa muito delicada, as pessoas acham que a gente não cansa", disse ao sinalizar que ainda não chegou a hora de parar.

Ela afirma que realmente está sem treinador e com uma dinâmica diferente, mas que nunca vai parar de treinar. Contudo, acredita que não está mais no ritmo para voltar à rotina de grandes competições: "Hoje, eu não me vejo nos Jogos de Tóquio 2020", afirmou. Ela participou de três olimpíadas (Pequim 2008, Londres 2012, onde foi medalhista, e Rio 2016).

"Não sou candidata"

A pentatleta afirma que vem gostando muito da experiência como secretaria executiva de esportes da Prefeitura do Recife e que acredita que o esporte pode "transformar a vida das pessoas". Apesar disso, não é filiada a nenhum partido político e não pretende se candidatar nas eleições do próximo ano.

Simpática, Yane Marques se define como "caseira" e como uma pessoa muito organizada. Ao relembrar a conquista do Bronze em 2012 disse que foi a grande realização de um sonho. Ela também disse jamais esperar que seria escolhida como porta-bandeira do Brasil justamente nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro.

[IMAGEM2]

Dieta da rede social e mais

O "Frequência 2.0" também entrou no ritmo da dieta da rede social, um projeto que reúne a vontade fazer exercícios físicos com os amigos das redes sociais. A ideia é do jornalista pernambucano Marcus Andrey, que já perdeu 40 quilos e está contando essa história através de dois e-books (livros digitais).

Já na coluna "Sexo e relacionamento", a sexóloga Silvana Melo derruba mitos sobre a masturbação. Já a astróloga Angela Brainner fala da influência do planeta Vênus na vida de todo mundo na coluna "Astros e Estrelas".

Apresentado pelos jornalistas Rafael Souza e Ravi Soares, o "Frequência 2.0" é transmitido toda sexta-feira, às 23h, com reprise nos domingos, às 21h. Dúvidas e sugestões podem ser enviadas pelo frequencia@radiojornal.com.br ou nas redes sociais da Rádio Jornal.