Interior | PALMARES

Prefeito de Palmares anula concurso e demite mais de 40 servidores


O concurso público havia sido realizado pelo antecessor. Os servidores alegam terem sido demitidos sem os direitos trabalhistas

Publicado em 04/01/2018, às 09:43

Rádio Jornal

Reprodução/Rádio Jornal

O prefeito da cidade de Palmares, na Zona da Mata Sul do Estado, Altair Júnior (PMDB), decidiu anular o concurso público realizado pela gestão anterior para a autarquia de trânsito do município, Amdestran. Os 43 servidores que estavam em período probatório foram desligados e alegam ter saído sem os dois últimos salários e sem o recebimento do 13º, além de outros direitos trabalhistas. 

Saiba mais na reportagem de Berg Santos:

 Justificativas

O procurador municipal de Palmares, Ary Bezerra, afirma que a decisão da prefeitura acatou uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco. "Em 2015, o Ministério Público entrou com ação contra o concurso, pedindo nulidade da licitação", explica. "O Ministério Público entendeu que o concurso desatendeu a lei de licitações e contratos administrativos e nós acatamos esse fundamento", completa.



Sobre os salários atrasados, o procurador coloca a culpa na crise. "Esse atraso se deu devido a essa crise financeira que o Brasil atravessa atualmente. Desde outubro, o prefeito vem fazendo cortes de gastos e despesas", diz. "Pra completar, o município sofreu com retenções de receitas pela Receita Federal por causa de dívidas das gestões anteriores", afirma.

Sem rumo

O guarda municipal Adriano Leite afirma que todos foram pegos de surpresa. "Com essa anulação, todos estão sem saber o que fazer, nem para onde ir. Os prejuízos são imensos e ninguém consegue nos dizer absolutamente nada", lamenta.


Recomendados para você

Comentários

Interior

Prefeito de Palmares anula concurso e demite mais de 40 servidores



Publicado em 04/01/2018, às 09:43


Rádio Jornal

[IMAGEM]

O prefeito da cidade de Palmares, na Zona da Mata Sul do Estado, Altair Júnior (PMDB), decidiu anular o concurso público realizado pela gestão anterior para a autarquia de trânsito do município, Amdestran. Os 43 servidores que estavam em período probatório foram desligados e alegam ter saído sem os dois últimos salários e sem o recebimento do 13º, além de outros direitos trabalhistas. 

Saiba mais na reportagem de Berg Santos:

[uolmais_audio 16375377]

 Justificativas

O procurador municipal de Palmares, Ary Bezerra, afirma que a decisão da prefeitura acatou uma recomendação do Ministério Público de Pernambuco. "Em 2015, o Ministério Público entrou com ação contra o concurso, pedindo nulidade da licitação", explica. "O Ministério Público entendeu que o concurso desatendeu a lei de licitações e contratos administrativos e nós acatamos esse fundamento", completa.

Sobre os salários atrasados, o procurador coloca a culpa na crise. "Esse atraso se deu devido a essa crise financeira que o Brasil atravessa atualmente. Desde outubro, o prefeito vem fazendo cortes de gastos e despesas", diz. "Pra completar, o município sofreu com retenções de receitas pela Receita Federal por causa de dívidas das gestões anteriores", afirma.

Sem rumo

O guarda municipal Adriano Leite afirma que todos foram pegos de surpresa. "Com essa anulação, todos estão sem saber o que fazer, nem para onde ir. Os prejuízos são imensos e ninguém consegue nos dizer absolutamente nada", lamenta.