Eleições são seguras no Brasil

Bolsonaro foi alertado pela CIA que deveria parar de questionar segurança das eleições, diz agência

De acordo com a agência Reuters, diretor do serviço de inteligência dos Estados Unidos fez alerta em reunião em julho de 2021

Gabriel dos Santos
Gabriel dos Santos
Publicado em 05/05/2022 às 12:08 | Atualizado em 10/05/2022 às 12:12
Notícia
Reprodução
Presidente Bolsonaro já mentiu diversas vezes sobre vacinas contra a covid-19 - FOTO: Reprodução
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro foi alertado pelo diretor da CIA (a agência de inteligência dos Estados Unidos) de que deveria parar de questionar a segurança do sistema eleitoral brasileiro. A informação foi publicada pela Reuters, uma das principais e mais importantes agências de notícias do país. 

Ao longo de boa parte dos primeiros anos de mandato, Bolsonaro - que, antes de ser presidente, foi eleito várias outras vezes deputado federal - levantou a falsa hipótese de que as eleições no Brasil são fraudadas e defendeu o voto impresso no país. 

Segundo relato de duas fontes da Reuters, o alerta para que Bolsonaro parasse de falar mal do sistema eleitoral brasileiro foi feito por William Burns, diretor da CIA, em uma reunião em julho de 2021.

Alerta

Durante viagem ao Brasil naquele mês, Burns se encontrou com Bolsonaro, o ministro-chefe do Gabinete Institucional, o general Augusto Heleno, e o então diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem.

Uma fonte da Reuters em Washington também confirmou que Burns disse a assessores de Bolsonaro que o presidente deveria parar de  "subestimar o sistema de votação no Brasil".

Diferente do que diz Bolsonaro, o sistema eleitoral brasileiro é seguro de acordo com especialistas no assunto. A votação é auditada e pode ser acompanhada por partidos políticos e por órgãos de fiscalização como o Ministério Público e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). As urnas eletrônicas não são conectadas nem à internet nem a qualquer meio que possa mudar os registros dos votos feitos pelos eleitores. 

.

Comentários

Mais Lidas