polêmica

Filho adotivo de Carol Nakamura volta para mãe biológica: "uma criança que cresce sem regra, é muito difícil"

Atriz falou sobre processo de adoção e perda da guarda do filho

Vitória Floro
Vitória Floro
Publicado em 01/06/2022 às 11:00 | Atualizado em 01/06/2022 às 11:17
Notícia
Reprodução / Instagram
Guilherme Leonel, Carol Nakamura e Wallace - FOTO: Reprodução / Instagram

A atriz Carol Nakamura e o seu marido Guilherme Leonel usaram as redes sociais para revelar que o filho adotivo do casal, Wallace, de 12 anos, voltou a morar com a mãe biológica.

Segundo os dois, a decisão partiu da criança, que estava vivendo com eles enquanto aguardava a finalização do processo legal de adoção.

"Recebo, diariamente, mensagens e comentários sobre 'Cadê o Wallace?'. Gostaria de pedir respeito, pois a dor do outro, nunca sabemos. E evito falar sobre, pois só eu sei o quanto isso me frustrou e tirou meu chão! Apesar de ser uma escolha dele, uma vontade dele (já tinha 12 anos quase), já escolhe o que quer. E, a partir do momento que o documento dele consta a mãe biológica, quem manda ou não, é a mesma", explicou Guilherme.

"Sempre falei que posso ter 5 filhos, mas nenhum me amaria como o Wallace, e eu amaria como amo o Wallace. O sentimento é que um pedaço de mim foi embora, e fica um vazio. Mas precisamos respeitar! Nem sempre o melhor para nós é o melhor para o outro", finalizou.

Carol também fez uma declaração sobre o acontecimento e, por meio de um vídeo, falou sobre a criação do garoto com a mãe biológica antes da adoção.

"Uma criança que cresce sem regra, é muito difícil... Por mais que você mostre os benefícios da educação, alfabetização, ter uma família, casa, oportunidades, o que ele não tinha antes, é complicado e decepcionante. Não estava acreditando que isso ia acontecer", relatou.

A atriz reafirmou que respeita a decisão do menino e tentou dar o melhor em sua criação.

"Tive que respeitar a vontade dele. Wallace estava safado. Ele já tinha entendido que eu não tinha a guarda dele. Se a gente brigasse ou colocasse de castigo ou chamasse a atenção, ele queria ir para a casa da mãe. E se a mãe fizesse o mesmo, ele vinha para cá", destacou.

.

ADOÇÃO À BRASILEIRA 

Na internet, o pronunciamento de Carol causou polêmica, não só pela forma como a atriz falou da criança, mas também pelo tipo de processo que foi feito durante a adoção de Wallace.

O menino foi retirado pelo casal do maior lixão da América Latina, o Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, no final de 2019.

Com a evolução da pandemia, o processo de adoção foi pausado. Por Wallace já ter 12 anos, a justiça levou em consideração o seu desejo de voltar para a casa da mãe biológica.

Ao acompanhar o caso, muitas pessoas começaram a alegar que Nakamura teria feito um processo de "adoção à brasileira", quando a criança é "adotada" sem antes entrar no Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA).

Esse tipo de procedimento é conhecido como "entrega direta", quando a família da criança está passando por algum tipo de dificuldade e entrega o filho para que terceiros possam cuidar, sem a regulamentação legal necessária. 

Dessa forma, Carol conseguiu ter a guarda provisória do menino, título que pode ser concedido com mais facilidade do que a adoção. No entanto, não garante a guarda permanente e a finalização da adoção.

Em um vídeo publicado na internet, a influenciadora Gabi Oliveira explicou que o processo feito por Nakamura é uma situação que coloca em risco a integridade da criança. "Imagina se toda família pudesse entregar, sem nenhuma avaliação, o seu filho para outra pessoa", explicou. 

Comentários