A MULHER DA CASA ABANDONADA

A MULHER DA CASA ABANDONADA: Saiba tudo sobre a história de MARGARIDA BONETTI

Conheça a história de Margarida Bonetti, a mulher da casa abandonada

Alice Lins
Alice Lins
Publicado em 20/07/2022 às 22:18
REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@LUISAMELL
Momento em que Margarida Bonetti toma a cadela das mãos de Luísa Mell - FOTO: REPRODUÇÃO/INSTAGRAM/@LUISAMELL
Leitura:

O podcast "A Mulher da Casa Abandonada", elaborado e narrado pelo jornalista Chico Felitti, chamou a atenção do público nas últimas semanas. 

Por viver em uma mansão em ruínas, no bairro de Hienópolis, em São Paulo, Margarida Bonetti acabou se tornando protagonista da trama feita pelo jornalista.

SOBRE MARGARIDA BONETTI

O podcast investiga a história de Margarida Bonetti. A mulher foi dada como foragida da polícia por manter durante anos uma funcionária em condições análogas à escravidão.

Margarina e seu marido, René Bonetti, se mudaram para os Estados Unidos após o casamento. O casal levou a empregada doméstica com eles, que havia sido "dada de presente" pelos pais da mulher.

A mulher que trabalhava para o casal foi mantida por cerca de 20 anos em cárcere privado. Ela ainda era vítima de agressões físicas e psicológicas.

O CASAL FOI PRESO?

A empregada doméstica recebeu a ajuda de uma das vizinhas no local. O marido de Bonetti foi investigado pela polícia e foi condenado a 6 anos e 5 meses de reclusão, além de pagar multas indenizatórias ao Estado e também à vítima.

Apesar das investigações, Bonetti retornou ao Brasil, no final dos anos 90, e passou a morar na antiga mansão da família.

Margarida alegou que o motivo da sua volta ao país foi devido ao falecimento de seu pai.

A mulher conseguiu se tornar uma figura excêntrica pelo fato de não costumar mostrar totalmente seu rosto, sempre aparecendo com uma camada de pomada branca no rosto

MARGARIDA BONETTI VAI SER PRESA?

A mulher poderia responder judicialmente no Brasil e vir a ser condenada, mas não seria possível com que ela cumprisse a pena em território nacional

Ela está sendo protegida pela Constituição, que assegura que:

"Nenhum brasileiro será extraditado, salvo ou naturalizado, em caso de crime comum, praticado antes da naturalização, ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, na forma da lei".

Com informações do site Capricho*

Mais Lidas