MÚSICA

BTS vai poder fazer shows enquanto cumprem serviço militar

Além de continuarem se apresentando, BTS pode cumprir apenas 3 semanas de alistamento militar

Vitória Floro
Vitória Floro
Publicado em 02/08/2022 às 10:54 | Atualizado em 02/08/2022 às 10:55
Notícia
INSTAGRAM/REPRODUÇÃO
BTS inicia nova fase com 'Butter' e mantém fórmula do sucesso - FOTO: INSTAGRAM/REPRODUÇÃO
Leitura:

Na última segunda-feira (1), o ministro da Defesa da Coreia do Sul declarou que os músicos do grupo de K-pop BTS ainda poderão se apresentar no exterior enquanto servem às Forças Armadas.

A declaração aconteceu em um momento crucial tanto para a banda como para a questão militar no país. Isso porque, a Coreia do Sul enfrenta um debate sobre redução de serviço militar obrigatório para celebridades de K-pop, o plano é que esses artistas cumpram apenas três semanas e não os tradicionais dois anos. 

Uma revisão da lei já foi criada para que os membros do grupo pudessem adiar os serviços até os 30 anos, antes disso, era preciso se alistar até, no máximo, os 28 anos.

.

O tempo é curto para definir a questão do alistamento militar dos membros do atual grupo mais famoso do mundo. Em 2023, o integrante mais velho, Jin, vai completar 30 anos e deverá se alistar por cerca de dois anos caso mudanças não aconteçam. 

O serviço militar obrigatório já é um tópico extremamente controverso na Coreia do Sul, onde todos os homens aptos com idades entre 18 e 28 precisam cumprir os deveres com o Estado.

Ao longo dos anos, algumas isenções já foram feitas, seja para adiar o serviço ou para diminuir o tempo das atividades. Medalhistas Olímpicos, músicos e dançarinos clássicos que ganham prêmios importantes em certas competições, são algumas classes que já conseguiram benefícios. 

Agora, o parlamento coreano debate um projeto de lei que pretende reduzir o serviço militar para as estrelas de K-pop.

 O ministro da Defesa Lee Jong-sup, falando em sessão parlamentar, disse que, ao permitir que o BTS continue se apresentando, os militares podem servir aos interesses nacionais sem afetar o já reduzido conjunto de recursos de pessoal devido às baixas taxas de natalidade.

A BigHit, companhia responsável por gerenciar a carreira do BTS ainda não se manifestou sobre o assunto. 

Comentários

Mais Lidas