Plágio

PABLLO VITTAR leva processo de R$ 1 milhão por plágio de música; Cantora se pronuncia 

Compositor do hit de Pabllo Vittar acusa artista de roubar música

Pedro Oliveira
Pedro Oliveira
Publicado em 03/08/2022 às 23:02
Notícia
Reprodução/TV Globo
Pabllo Vittar é acusada de plágio da música "Ama, Sofre, Chora" - FOTO: Reprodução/TV Globo
Leitura:

Pabllo Vittar está envolvida em um escândalo. A drag queen mais seguida do mundo no Instagram está sendo acusada de roubar uma música de sucesso sem dar os devidos créditos e direitos autorais ao compositor.

Pelo menos é o que alega o compositor Herlomm Diosly dos Reis Silva, que entrou com um processo contra Pabllo Vittar. Na ação - registrada na 43ª Vara Cível da Comarca de São Paulo - ele pede uma indenização por danos morais e materiais. 

A música em questão é um dos hits de Pabllo Vittar "Ama, Sofre, Chora", do álbum "Batidão Tropical", lançando em 2021. As informações foram publicadas inicialmente pela colunista Fábia Oliveira, do Em Off, e divulgadas pelo colunista Lucas Pasin, do UOL. 

A Sony Music e os compositores Arthur Pampolin Gomes, Arthur Simões Magno Marques, Guilherme Santos Pereira, Pablo Luiz Bispo e Rodrigo Pereira Vilela dos Santos também são citados no processo de plágio movido contra Pabllo Vittar.

Segundo Lucas Pasin, "o valor da ação pode chegar a R$ 1 milhão. Além dos danos materiais, no valor correspondente a tudo que a música lucrou, o compositor pede que o valor dos danos morais seja dez vezes maior que os materiais".

O QUE DISSE A SONY MUSIC SOBRE PLÁGIO DE PABLLO VITTAR

A assessoria de imprensa da Sony Music disse, em nota enviada ao Splash, do UOL, que não há nada o que declarar no momento. Já os compositores citados não foram encontrados. 

.

O QUE DISSE PABLLO VITTAR

Leia a nota completa enviada por Pabllo Vittar ao colunista:

"A equipe da artista Pabllo Vittar vem, através deste comunicado, informar que tomou conhecimento pela mídia digital, que existe uma acusação de plágio referente à obra "Ama Sofre Chora", de Autoria de Rodrigo Gorky, Pablo Bispo, Arthur Marques, Arthur Pampolin Gomes e Guilherme dos Santos Pereira.

Em que pese não tenha recebido nenhuma notificação ou citação até o presente momento, a Artista, através de sua equipe, examinou a gravação da obra alegadamente plagiada e verificou que não existe nenhuma hipótese de ocorrência de plágio, visto que as obras musicais são totalmente distintas, nada existindo que possa, minimamente, levar a essa conclusão.

Neste sentido, este comunicado serve para esclarecer que a artista Pabllo Vittar não cometeu nenhum tipo de violação a direito autoral e não compactua com a apropriação indevida de qualquer espécie de propriedade intelectual.

Trata-se de evidente acusação leviana, sem qualquer fundamento, a qual será devidamente contestada no momento oportuno.

Atenciosamente, Depto. Jurídico Pabllo Vittar Entretenimento Eireli."

Comentários

Mais Lidas