A primeira vitória tricolor na Série C


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 14/07/2012 às 18:53
Leitura:
Do Blog do Torcedor Enfim, a primeira vitória. O Santa Cruz mostrou um futebol aplicado durante os noventa minutos, tomou alguns sustos, mas conseguiu superar o Treze-PB, por 2x1, em duelo válido pela terceira rodada da Série C do Brasileiro. Os gols do Tricolor foram marcados por Willian Alves e Dênis Marques, ambos no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Santa Cruz continuou melhor, mas falhou nas finalizações e viu o atacante Brasão diminuir o placar. A torcida ficou apreensiva, mas comemorou o triunfo ao final do jogo. O Santa Cruz mostrou um futebol aplicado no primeiro tempo da partida contra o Treze-PB e, por isso, construiu a vantagem por 2x0 Willian Alves e Dênis Marques foram os autores dos gols que deram tranquilidade para o Tricolor. Na segunda etapareduziu o ímpeto, mas jogou o suficiente para segurar o adversário e garantir os três pontos. A equipe do técnico Zé Teodoro apresentou bons e maus momentos, no entanto, foi mais perigosa e eficiente. A equipe coral entrou em campo com novidade no gol. Fred ganhou a posição para Diego Lima. No entanto, não teve trabalho, já que a equipe paraibana quase não foi ao ataque. No início da partida, aos 2 minutos, Gilsinho cobrou falta de longe e o camisa 1 do Santa Cruz desviou. Foi apenas este lance de perigo do Treze. Depois disso, o Santa Cruz conseguiu impor seu jogo. Zé Teodoro optou pelo esquema 4-4-2, com Luciano Henrique indo à frente diversas vezes. O Trciolor teve volume de jogo, mas não conseguia a penetração. Até que, aos 14 minutos, veio o gol coral, através de Willians Alves, de cabeça. O gol deu tranquilidade. Dois minutos depois, Chicão roubou a bola, invadiu a área e chutou. O goleiro do Treze fez a defesa em dois tempos. O Santa Cruz tomou conta do jogo. Aos 23 minutos, Fabrício Ceará perdeu uma boa chance. O atacante ainda reclamou de um possível pênalti que teria sofrido, que o árbitro não assinalou. Aos 28, Dênis Marques obrigou o goleiro a fazer boa defesa. No rebote, Renatinho mandou parafora. O time paraibano, até então, errava demais na defesa e, principalmente, na troca de passe. Mas após os 30 minutos, o Treze passou a chegar na área coral. Mas sem eficiência. O Santa Cruz, por sua vez, conseguiu criar uma grande chance aos 40 minutos, mas que foi desperdiçada pelo lateral Diogo. O Santa Cruz mostrou no lance que não estava desligado no jogo. Aos num contra-ataque, Dênis Marques chutou rasteiro e ampliou o placar. No segundo tempo, o Santa Cruz começou lento, esperando o Treze sair para o jogo. A tática parecia que ia dar certo. O time paraibano foi para o ataque e o Tricolor aproveitou os espaços da defesa para contra-atacar. E começou a criar várias oportunidades. No entanto, errou muito nas finalizações. Aos  nove minutos, Dênis Marques obrigou o goleiro Carlos Luna a fazer boa defesa. No minuto seguinte, Renatinho mandou a bola na trave. No rebote, Fabrício Ceará mandou para fora. Aos 13, Renatinho chutou cruzado e encontrou Luciano Henrique, que mandou para fora. O Treze ficou acuado. O time paraibano não sabia o que fazer com a bola. Até que, aos 25 minutos, Memo errou uma saída de jogo e a bola chega para Brasão na entrada da grande área. O atacante não perdoou e mandou para as redes. Como já vestiu a camisa do Santa Cruz, Brasão resolveu não comemorar. A equipe coral sentiu o gol sofrido. Por outro lado, o Treze cresceu. Mesmo com dificuldades, errando bastante na troca dos passes, o time paraibano foi à frente. Aos 35 minutos, Brasão fez boa jogada e cruzou. Manu cabeceou e o goleiro Fred fez grande defesa. O Santa Cruz já não era o mesmo do início do segundo tempo. A equipe não encontrou mais espaços para atacar e, por isso, não teve mais chances para ampliar o placar para ter mais tranquilidade. Porém, o Santa Cruz fechou os espaços na defesa e garantiu os três pontos na Série C. Ficha técnica Santa Cruz: Fred; Diogo, William Alves, Édson Borges e Renatinho; Chicão, Memo, Weslley (Vítor Hugo) e Luciano Henrique (Sandro Miguel); Fabrício Ceará (Flávio Recife) de Dênis Marques. Técnico: Zé Teodoro. Treze: Carlos Luna; Jamesson (Rodrigo Pardal), Jefférson Lobo, Thiago Messias e Leomir; Júlio César, Vágner Rosa,  Everton (Aderlan) e Gilsinho (Manu); Vavá e Brasão. Técnico: Marcelo Vilar. Local: Estádio do Arruda, em Recife. Árbitro: Rogério Lima da Rocha (SE). Assistentes: Rubens dos Santos Filho e João Carlos de Jesus Santos (SE). Gols: Willian Alves, aos 12, e Dênis Marques, aos 45 minutos do primeiro tempo; e Brasão, aos 25 minutos do segundo tempo.  Cartões amarelos: Luciano Henrique, Brasão, Leomir, Gilsinho, Vágner Rosa, Rodrigo Pardal.  Público: 20.342. Renda: R$ 299.830.

Mais Lidas