Náutico vacila nas bolas cruzadas na área e perde por 3x1 para a Portuguesa

Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 29/07/2012 às 20:42
Do Blog do Torcedor O Náutico falhou nas bolas cruzadas na sua área e perdeu para a Portuguesa por 3x1, de virada, no Canindé, na noite deste domingo, 29, pela 13º rodada da Série A do Campeontato Brasileiro. Kieza abriu o placar para o Timbu ainda no primeiro tempo, enquanto que Moisés, Ananias e Diego Viana viraram para a Lusa. Todos os gols da equipe paulista foram provenientes de bolas alçadas na área. A zaga alvirrubra falhou bastante neste tipo de lance. Com o resultado, o Náutico cai para a 14º posição com 13 pontos. A Lusa sobe para a 15º com os mesmos 13. O placar do jogo ainda trouxe para o Alvirrubro a liderança de uma estatística nada agradável. Com os três gols sofridos, o Náutico passou a ser a pior defesa da Série A ao lado do Coritiba com 27. A Portuguesa que pode comemorar os três gols, que além da vitória, tiraram a equipe paulista da posição de pior ataque da competição. Na próxima rodada, o Timbu recebe o Santos, nos Aflitos, enquanto que a Portuguesa recebe o Figueirense, no Canindé. O JOGO - O confronto começou com o Náutico apostando na velocidade para atacar a Portuguesa. O Timbu veio com a postura de marcar bem para sair com bons contra-ataques contra um adversário que deixava muitos espaços na defesa no início da partida. A estratégia alvirrubra rendeu bons frutos logo de cara. Com menos de dez minutos, o Náutico abria o placar. Aos 8, Kieza dominou bola na esquerda, partiu para cima da marcação e soltou um belo chute. A bola viajou e foi morrer no fundo das redes. Um golaço de Kieza. O quarto dele na Série A em quatro jogos. O gol deu ainda mais tranquilidade para o Timbu que continuou apostando nos contragolpes. Em um deles, aos 18, Rhayner partiu em velocidade, mas pecou no passe final. Kieza e Araújo estavam livres para marcar. A Portuguesa saia mal e esbarrava na boa defesa do Náutico. As melhores chances da Lusa vinham com Moisés, que arriscava bastante de fora da área. Apesar do cenário não ser favorável para a Portuguesa, foi a equipe paulista que chegou ao gol. AOs 29, Moisés recebeu cruzamento na área e, com um belo toque, mandou para o fundo das redes para igualar a partida. O empate deu mais tranquilidade para a Lusa que passou a tocar melhor a bola. O Náutico por outro lado ficou mais confuso e pouco agrediu depois. A velocidade do início da partida foi perdida. O Timbu só voltou a chegar com perigo aos 42, em falta cobrada por Souza. Dida defendeu bem. SEGUNDO TEMPO - O Náutico voltou do intervalo com o mesma atitude do início da etapa inicial, ou seja, com maior velocidade e mais atenção na defesa. A estratégia rendia um bom volume de jogo para o Timbu que voltava a criar boas chances. Aos 5, o lateral João Paulo cruzou e assustou o goleiro Dida. Porém, assim como no primeiro tempo, a Portuguesa voltou a marcar quando não vinha bem. E outra vez o gol veio de uma bola cruzada na área. Desta vez quem aproveitou o lance foi Ananias que, sem marcação, mandou para o fundo das redes aos 12. Era a virada da Lusa. Na desvantagem, o técnico Alexandre Gallo procurou fazer alterações mais ofensivas na equipe. Cleverson e Elicarlos sairam para as entradas de Rico e Breitner respectivamente. As substituições, contudo, não surtiram efeito já que o Náutico ficou inistindo em demasia nas jogadas pelo meio. Sem falar no fato do meia Rhayner, um dos principais articuladores do Timbu, ter ficado mais recudado na lateral-direita. Dentro deste cenário, a Portuguesa administrou o final da partida. Ainda houve tempo para mais um gol da Lusa aos 41 minutos com Diego Viana. Mais uma vez a bola veio de cruzamento na área Timbu. Depois disso, restou aguardar o apito do árbitro.

VEJA MAIS CONTEÚDO