Jogadores do Náutico deflagram greve e, ao invés de treinar, vão jogar futevôlei na praia


Da Rádio Jornal
Da Rádio Jornal
Publicado em 28/11/2014 às 9:56
Leitura:

Da Rádio Jornal Atualizada às 10h05

B3hwBy-IAAEmwVa

O campo do Centro de Treinamento ficou vazio enquantos jogadores curtiam a praia. Foto: Wellington Araújo/Rádio Jornal Depois de meses de salários atrasados e reuniões com a diretoria, os jogadores do Clube Náutico Capibaribe deflagraram uma greve na manhã da quinta-feira (27) e não treinaram. Eles preferiram ir à praia de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, jogar futevôlei, ainda vestidos com o uniforme do time. A direção do clube achou a decisão dos jogadores precipitada. O vice-presidente de futebol do Náutico, José Barbosa de Andrade, afirma que não vê motivo para a greve. "O que a diretoria havia combinado com os jogadores era que esperassem decisões, sobre os pagamentos atrasados, serem tomadas até esta sexta-feira (28)", disse. E acrescenta, "sábado (29), eles vão jogar porque são profissionais". O departamento financeiro do time alvirrubro liberou, ainda na quinta-feira (27) um mês de direitos de imagem, agosto, e está para depositar nas contas dos atletas os salários de setembro. Diretoria e jogadores do Náutico vão decidir se há ou não a continuidade da greve. Em caso positivo, quem entrará em campo contra a Ponte Preta, no sábado (29), será a equipe Sub-20 do time. Jogadores foram ao treino com uma hora de atraso. Na chegada ao campo, o lateral do Náutico, Rafael Cruz, ironizou: "Tanta imprensa presente, parece mais que esse jogo de amanhã vale acesso". O Timbu está na 11ª posição do Campeonato Brasileiro da Série B.


Mais Lidas