FUTEBOL

Escrete de Ouro e a paixão de acompanhar partidas de futebol pelo rádio

Registrada pelo Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, a marca Escrete de Ouro mantém sua tradição em cobertura esportiva e acompanha o futebol pernambucano diariamente há décadas

do Jornal do Commercio
do Jornal do Commercio
Publicado em 02/02/2015 às 17:35
Parte da equipe que leva todas as informações do futebol para o torcedor
Foto: acervo JC Imagem


Quando se fala em transmissão de futebol em Pernambuco é impossível não lembrar do Escrete de Ouro. A equipe esportiva da Rádio Jornal carrega em sua bagagem 50 anos de história e sucesso, embalados pelas marcantes vozes de seus comunicadores. Registrada pelo Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, a marca Escrete de Ouro mantém sua tradição em cobertura esportiva e acompanha o futebol pernambucano diariamente há décadas.

Tudo começou com Ivan Lima, mais conhecido como “gandulão de ouro”. O narrador foi o criador do nome que hoje caracteriza os profissionais esportivos da Rádio Jornal. Escrete é a gíria futebolística que caracteriza os jogadores que compões um time. O formato permaneceu o mesmo ao longo dos anos, consolidado o Escrete como a equipe mais conhecida e de maior audiência em Pernambuco.

Para Aroldo Costa, narrador dono do título de maior gol do mundo e coordenador de esportes, o prestígio dos torcedores permanece ao longo dos anos por vários motivos. “Uma equipe completa, a cobertura diferenciada do futebol pernambucano e nossa presença em campeonatos internacionais são fatores que contribuem para que o sucesso permaneça por tanto tempo”, diz.

Vozes como a de Aroldo, Roberto Queiroz e o saudoso Adilson Couto marcaram e marcam gerações de torcedores, que não abrem mão do rádio a tiracolo mesmo quando estão nos estádios. “O rádio tem essa capacidade emotiva e nostálgica. Por isso que nosso diferencial é manter a tradição dos narradores, pois se a rotatividade fosse grande talvez o ouvintes não fidelizasse tanto”, garante Aroldo.

A equipe, que possui mais de 15 profissionais, acompanha principalmente o futebol em Pernambuco. Onde os principais times do Estado estiverem, o Escrete de Ouro também estará.

MUNDIAIS

Desde 1978 a Rádio Jornal transmite a Copa do Mundo Fifa com os direitos de transmissão adquiridos, liderando uma cadeia de outras emissoras no Nordeste. Mais um exemplo da ousadia e tradição da equipe.

Um grande marco na história da emissora foi a Copa do Mundo de 2002, na Coreia do Sul e Japão. A Rádio Jornal foi uma das poucas rádios do Brasil e a única do Nordeste a transmitir o campeonato diretamente dos países sede. O feito foi tão marcante que alguns ouvintes não acreditavam estar ouvindo os jogos direto do outro lado do mundo.

Para reforçar o pioneirismo da emissora, seu slogan foi temporariamente modificado para “Pernambuco falando do outro lado do mundo”. O campeonato também marcou a consolidação das transmissões digitais em rádio.

TRANSMISSÃO

Após a ida da Rádio Jornal para a frequência modulada (FM 90,3 MHz) os torcedores estão experimentando uma qualidade de som muito superior. É o som de estádio com qualidade de estúdio.

Além disso, o radinho de pilha não é mais a única opção para escutar o Escrete de Ouro em campo. “Agora o torcedor pode acompanhar o Escrete onde e quando quiser: no carro, no rádio ou no celular”, comemora Carlos Miguel, gerente de programação da Rádio Jornal.

Em junho deste ano os ouvintes poderão acompanhar todos os lances da Copa América, no Chile, tanto no AM quanto no FM. A emissora é a única do Nordeste que fará a transmissão do campeonato.

VEJA MAIS CONTEÚDO