FUTEBOL

Santa Cruz:presidente do conselho passa mal e reunião do time é adiada


O presidente do conselho deliberativo, professor Sylvio Ferreira, teve um princípio de infarto, mas evolui bem na recuperação

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 12/12/2016 às 14:44
Leitura:
Foto: Reprodução/ Internet


Nesta terça-feira (13), o presidente do clube, Arlírio Moraes, faria um balanço financeiro da gestão deste ano com expectativas para 2017, mas a reunião foi adiada, pois o presidente do conselho deliberativo, professor Sylvio Ferreira, teve um princípio de infarto. Não há previsão de receber alta, mas Ferreira evolui na recuperação. A reunião foi cancelada e será remarcada, assim que o presidente do conselho estiver melhor.

Ouça os detalhes no flash de João Victor Amorim:

Financeiro

O Santa Cruz pagou, nesse domingo (11), um mês de salário para uma parte do grupo, mas ainda deve três e mais um complemento. Já os funcionários, ainda não receberam. A promessa, segundo informações dos bastidores, é de remunerar pelo menos uma folha nesta terça-feira (13), mas não é oficial. Até a cobra coral resolver as questões financeiras, nenhuma novidade deve acontecer em relação a contratação de novos jogadores e o comandante do time.

Para 2017, a diretoria do clube já contacta alguns treinadores. Houve até uma conversa com o ex-treinador do Atlético-PR, Vinicius Eutrópio, mas não há nada definido em relação ao novo técnico. A diretoria não descarta uma possível permanência de Adriano Teixeira, mas de acordo com informações de bastidores, o atual comandante do time tricolor não seguirá no Santa Cruz.

Série A

O Santa Cruz encerrou a participação na Série A, deste ano, na 19ª colocação, mas não trouxe um bom resultado e perdeu por 5x0 contra o São Paulo, nesse domingo (11), no Estádio do Pacaembu. O elenco do time foi liberado porque não tinha mais contrato vigente, e os jogadores da base entraram em campo.

No final da partida, o técnico Adriano Teixeira falou sobre a derrota e destacou a importância de valorizar a base e não criticar os jogadores nesse momento difícil. “Foi o reflexo dessas duas últimas semanas, tanto na tragédia [com a Chapecoense] quanto na perca de vários jogadores. Mas acho que os atletas que estavam ali se entregaram e doaram-se ao máximo. Acho que ninguém tem o que reclamar e criticar os jogadores até porque todos nós sabemos a situação que estamos atravessando”, afirma.


Mais Lidas