Arena de Pernambuco

Dirigente do Náutico quer que Governo ressarça prejuízo com a Arena de Pernambuco

Luiz Felipe Batista, da Comissão Paritária do Náutico, priorizou pagamento de indenização do Governo pelo contrato quebrado da Arena de Pernambuco

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 25/07/2017 às 11:52
Leitura:

Imagem

O presidente da Comissão Paritária do Náutico afirmou que o interesse do clube com o Governo do Estado não se baseia na volta aos Aflitos, e sim em uma indenização pela quebra de contrato com a Arena de Pernambuco. Em entrevista exclusiva concedida ao repórter Leonardo Boris, Luiz Felipe Batista disse que o clube alvirrubro foi o maior prejudicado na relação firmada com a Arena, e que desde o início a relação com o estádio foi difícil.

Confira a entrevista na íntegra

"Finalmente o Governo está pensando em sentar e discutir essa pauta, e nos coloco à disposição. Que a pauta não seja ajudar a volta aos Aflitos, e sim indenizar o problema que o Náutico teve pensando no projeto Arena de Pernambuco", disse Luiz Felipe.

O dirigente Timbu também falou sobre o imbróglio referente ao contrato, e explicou que dois acordos foram firmados na ida do Náutico para a Arena. "O Náutico tinha um contrato principal e um acessório vinculando a concessionária da Arena, que era a Odebrecht, e o Governo do Estado. Naturalmente, se há um problema no contrato principal, esse problema repercute no acessório. A relação não era de parceria, parceria é quando os dois ganham ou os dois perdem, nesse caso só quem perdeu foi o Náutico".

Sobre um interesse do Governo do Estado em ajudar os alvirrubros na volta aos Aflitos, Luiz Felipe demonstrou cautela, e disse não ter recebido nenhum comunicado. "Esse assunto sempre teve um ponto de interrogação em virtude do Estado tocar a administração da Arena de Pernambuco, e esta situação não está resolvida com o clube. Temos uma pendência grande a ser resolvida, e por isso nos soa como difícil esse interesse do Estado. No relacionamento com a Arena, o único prejudicado é o Náutico".

Volta aos Aflitos prevista para o ano que vem

Sobre a volta aos Aflitos, Luiz Felipe Batista disse que o cronograma prevê o fim da reforma para o ano que vem, durante o Campeonato Brasileiro, permitindo que o time volte a mandar os seus jogos no Eládio de Barros Carvalho. "Fechamos um cronograma para o Brasileiro do ano que vem. Essa é a expectativa. O torcedor vai começar a ver um processo maior quando as chuvas passarem. O gramado vai ter uma evolução maior, já compramos uma nova grama, que vai ser plantada, as traves também. Mas uma equipe de reforço estrutural já está trabalhando, o torcedor que for aos Aflitos vai ver isso".

A demora nas obras foi esclarecida pelo dirigente, que priorizou uma reforma estrutural. "Os Aflitos está completando 100 anos, e passou por muitas reformas, muitas delas sem fazer o reforço estrutural necessário. Precisamos passar por uma fase de estudo e diagnóstico, algo que demora. Sei que o torcedor fica impaciente, mas era preciso que fizéssemos uma obra estruturada. A reforma está sendo pensada, no intuito de trazer todo um entretenimento para família e uma forma de exploração comercial para o clube".

Por fim, o presidente da Comissão Paritária disse que a expectativa de gasto é de R$ 5 milhões. "Não existe valor correto. Se imaginarmos, as Arenas que foram construídas para a Copa tiveram o valor inicial alterado. Tudo vai depender dos parceiros comerciais e do projeto de arquitetura. O valor mais próximo que estamos esperando é de R$ 5 milhões, mas pode variar", concluiu.

Mais Lidas