entrevista

Náutico não pode mais oscilar, diz Roberto Fernandes


Para o duelo contra o Internacional, técnico do Náutico disse que o clube pode ter dificuldades se pensar em jogar de igual para igual

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 19/09/2017 às 10:49
Leitura:

Imagem

O técnico Roberto Fernandes afirmou que o Náutico não pode mais oscilar no Campeonato Brasileiro da Série B. Em entrevista à Rádio Jornal na manhã desta terça-feira (19), o comandante alvirrubro afirmou que a situação do clube não permite mais uma queda de rendimento e cobrou maior intensidade do elenco dentro de campo.

"O jogo contra o Figueirense foi elogiado por crônica esportiva e torcida como o melhor jogo do time na competição. Naquele jogo, o Náutico deu intensidade e transpirou 90 minutos. Temos que ter isso como referência. Como temos atletas que já viveram momentos melhores em outros clubes, as vezes desaceleramos. Não é dessa forma. Está tendo uma mudança de filosofia e postura, mas os velhos hábitos, as vezes, vem à tona. Qualquer outra equipe pode oscilar, como direito, mas o Náutico não pode mais", disse o treinador.

Ouça a entrevista na íntegra com Roberto Fernandes

Ainda sobre a postura dentro de campo, Roberto Fernandes também cobrou um reconhecimento da posição e situação do Náutico na tabela do Brasileirão. Segundo o técnico, ter a mentalidade de jogar 'de igual para igual' com equipes como o Internacional podem atrapalhar o desempenho do Timbu.

"Em 24 jogos ter 14 derrotas não é brincadeira. O Náutico precisa buscar uma regularidade. O jogo que temos que fazer são referências daquilo realizado contra o Figueirense e do segundo tempo contra o Ceará. Se ficarmos com crise de identidade, achando que podemos jogar de igual para igual, termos muito mais dificuldade contra o Internacional. O Náutico precisa jogar como uma equipe que tem esses números no campeonato, marcando forte e com velocidade. É assim que equipes na situação do Náutico conseguem mais pontos. O Oeste tem consciência da sua capacidade, tem um elenco menos qualificado que o nosso, mas faz um jogo competitivo".


Mais Lidas