Entrevista

Meu compromisso não é com torcedor do Náutico, diz William Batoré


Atacante William Batoré foi ameaçado por torcedor do Náutico no gramado do Lacerdão após derrota para o Timbu para o ABC

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 22/10/2017 às 14:49
Leitura:

Imagem

Após o derrota para o ABC em casa pelo placar de 2 a 1, na última sexta (20), o atacante William Batoré do Náutico, que foi ameaçado por um grupo de torcedores após o embate, afirmou que não tem mais compromisso com o torcedor alvirrubro. Segundo o jogador, em entrevista ao repórter do Escrete de Ouro Leonardo Boris, o torcedor tem o direito de cobrar das arquibancadas e o gramado 'não é o espaço dele'.

"Temos procurado fazer um trabalho muito grande. Eu e outros jogadores procuramos conversar com os mais novos, para ter aquela calma. As coisas podem voltar para o lado positivo. Puxo muito dentro do vestiário, pra tentar conquistar. Vou dizer: meu compromisso é com o Náutico, não é com torcedor. Tem luz no fim no túnel? Então vamos!", disse William Batoré.

Ainda segundo William, o espaço de manifestação do torcedor é nas arquibancadas e não no gramado. "O torcedor tem o direito de querer cobrar, mas a partir do momento que ele entra no gramado ele invade o meu local de trabalho, invade um espaço que não é dele, o espaço dele é na arquibancada", comentou.

Não vou levar culpa por outras pessoas, diz William

O atacante deixou claro que a pressão e a cobrança no futebol são coisas normais, mas ressaltou que chegou com um clube já em 'situação de desespero' e questionou a administração após as cinco mudanças no comando técnico durante o ano.

"Tem outro lado, eu não vou levar culpa por outras pessoas. Cheguei aqui com o Náutico já em situação de desespero. Querer levar responsabilidade para cima de um é complicado. Por que não vão cobrar os diretores que saíram do clube? Os caras que saíram no meio do campeonato? Passaram cinco treinadores por aqui, três elencos, praticamente: um no começo do ano, outro no começo do estadual e outro que termina a Série B. Você acha que isso é futebol? Acha que isso é administração?", concluiu.

Ouça a entrevista com William Batoré na íntegra


Mais Lidas