ENTREVISTA

Eu não vejo a culpa de Del Nero, diz Evandro Carvalho sobre corrupção

Em entrevista à Rádio Jornal, presidente da Federação Pernambucana de Futebol diz que Fifa foi precipitada ao afastar Marco Polo Del Nero da CBF

Rádio Jornal
Rádio Jornal
Publicado em 17/12/2017 às 14:07
Leitura:

Imagem

Envolvido em suspeitas de corrupção e desvio de dinheiro, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Marco Polo Del Nero foi punido na última sexta-feira (15), com 90 dias de afastamento. Em comunicado oficial, o Comitê de Ética da Federação Internacional de Futebol (Fifa) determinou que Del Nero não poderá participar de quaisquer atividades relacionadas ao futebol tanto no Brasil como no exterior.

Neste domingo (15), o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, concedeu entrevista à Rádio Jornal, onde afirmou que discorda da atitude tomada pela Fifa. Evandro já tinha se posicionado favorável a Del Nero.
Logo após a divulgação do afastamento, a FPF emitiu nota afirmando surpresa e prestando solidariedades ao comandante da CBF afastado.

Para Evandro Carvalho, o afastamento de Del Nero foi exagerado e precipitado. "Você vive num estado de direito com direito à ampla defesa. É preciso que o estado prove a sua culpa para que você seja punido", diz Evandro.

Fifa afasta Del Nero da presidência da CBF do futebol por 90 dias

De acordo com o jornal o Estado de São Paulo, o processo contra Del Nero tem 1,3 mil páginas. O documento acumula todas as acusações contra o dirigente da CBF e aponta um suposto recebimento de US$ 6,5 milhões em propina por Del Nero.

Sobre as investigações realizadas pela Fifa e as delações feitas por outros "Qual é a prova material que existe nos autos contra Del Nero. É uma folha de agenda com anotações. A simples existência de uma folha de papel permite dizer que alguém é culpado? Essa é a prova?", questiona. "Eu não vejo a culpa de Del Nero", afirma.

Delações

José Maria Marim e Ricardo Teixeira citaram Marco Polo Del Nero em suas delações. Eles afirmam ter repassado propina ao presidente da CBF. Os montantes podem chegar a R$ 20 milhões.

Presidência da CBF

A decisão foi tomada a pedido da câmara de investigações do Comitê de Ética, que apura irregularidades cometidas por Del Nero. Segundo o comunicado divulgado pela Fifa, a punição de Del Nero é válida por 90 dias e pode ser prorrogada por mais 45 dias.

Com o afastamento de Del Nero, a CBF será presidida interinamente por Coronel Nunes. Uma eleição na CBF pode ser marcada a partir de abril de 2018, um ano antes do fim do mandato.

Mais Lidas