Agressão: Atacante Juninho, do Sport, se envolve em nova confusão

Dessa vez a vítima da agressão foi um repórter que entrevistava outro jogador do clube

VIOLÊNCIA
Agressão: Atacante Juninho, do Sport, se envolve em nova confusão

Juninho foi expulso após o clássico entre Santa Cruz e Sport, quando teria realizado a gressão - Foto: Foto: Brenda Alcântara/ JC Imagem

Ontem, após o apito final da partida entre Santa Cruz 1x0 Sport, o atacante se envolveu em mais uma polêmica para a sua carreira. Após ser expulso depois do apito final da partida por xingar o árbitro, o atacante é acusado de agredir o repórter Victor Pereira, da CBN.

Ao sair do campo, o Repórter entrevistava o volante Ronaldo do Sport e foi surpreendido com um tapa “Eu estava entrevistando (o volante) Ronaldo na saída de campo, quando ele (Juninho) deu um tapa no meu braço, se virou para mim e gritou: ‘Quer fazer graça é, filho da p***?'”, relatou Victor. O jornalista acredita que a agressão sofrida é uma forma de retaliação a uma informação repassada na partida entre Sport e Petrolina, na Ilha do Retiro, quando reportou descontentamento de Juninho ao deixar o campo de jogo na ocasião. Eu publiquei uma informação que é verídica, inclusive outros repórteres também relataram no ar, como Igor Moura (repórter da Rádio Jornal) e outros colegas, que Juninho, após a vitória sobre o Petrolina, deixou o campo chateado, chutou a placa de publicidade e foi para o vestiário. Essa foi a informação” finalizou.

A Associação de Cronistas Desportivos de Pernambuco (ACDP) declarou apoio ao repórter agredido e cobrou um posicionamento do Sport Club do Recife sobre o atacante que possui outro caso de agressão, quando foi denunciado pela ex-namorada por lesão corporal, mas pagou uma fiança de R$10 mil e passou a responder em liberdade. “Isso tudo é um desdobramento do que aconteceu na semana passada.

Histórico de agressão

Esse não é o primeiro caso de agressão que Juninho se envolve. No outro caso a vítima de 20 anos na época, não revelou o nome e segundo ela, após uma festa o jogador a agrediu com um tapa no rosto e a ameaçou com uma faca. "Ele disse que tinha que me matar porque ou eu ficava morta ou acabaria com a carreira dele", comentou a jovem.

O caso terá uma segunda audiência em breve mais data definida.

O que diz o Sport

Procurado pela reportagem do JC, o dirigente do Sport Wanderson Lacerda afirmou que o clube agendou uma reunião com os membros da cúpula leonina, o jogador e o repórter Victor Pereira. Segundo Wanderson, a intenção da diretoria rubro-negra é minimizar os danos relacionados ao atleta. Cogita-se, inclusive, ser aplicada uma multa no valor de dez cestas básicas sobre o salário de Juninho.

“Quando cheguei no vestiário ontem, eu não soube essa conversa. À noite, depois do jogo, soube que aconteceu esse problema. Agora, a gente tem uma reunião com o pessoal para me inteirar mais, para saber o que aconteceu. Até agora só temos o lado do repórter e para emitir uma opinião eu preciso ouvir o lado do jogador também”, afirma Wanderson Lacerda, que prega cautela ao tratar do jogador.

“A gente sabe que tem que ter o maior cuidado com ele, da parte geral dele, que tem um problema e todo mundo sabe. O que a gente está tentando fazer com Juninho é minimizar os problemas para evitar a repercussão, que é negativa. Minimizar o caso”, disse o dirigente, antes de apontar. “Pode ter acontecido uma outra derrapada. Já havia se falado em pagar dez cestas básicas, algo assim. Seria uma multa.”

A resposta de Juninho                                                                                     

No início da madrugada pós-clássico, Juninho publicou uma série de vídeos em sua conta pessoal do Instagram atacando o jornalista Victor Pereira, acusando de não haver provas da agressão. "Um tal de um Victor, que eu marquei ele semana passada aqui no meu Instagram. Ele falou que eu e Adryelson saímos chutando placa e tudo na Ilha (do Retiro), no jogo contra o Petrolina. Engraçado, que ele viu chutando placa e garrafa dentro do vestiário e não tem prova nenhuma. Agora ele vem com outra, dizendo que agredi ele no Arruda. Cadê prova? Engraçado que agredi ele e não Teve tumulto nenhum em cima dele. Aí todo mundo acha certo sair falando em rede social sobre Juninho. Todo cachorro acha normal estar falando de mim em rede social, 'pra ver se pega uma faminha, né?'”

Juninho também lembrou da acusação de agressão contra a ex-noiva - cujo processo aguarda uma segunda audiência na Justiça - a quem também acusa de não haver provas sobre o caso. “Primeiro, vem a menina pra falar com Greyde Angelo (sic) e não sei o quê. A menina faz tudo aquilo e não dá p*** nenhuma. Agora vem esse cara, falando que eu chutei placa e garrafa e não tem nada. Cadê prova, amigão? Quer ganhar fama? Acho que a tua empresa tá te pagando mal. Se tiver pagando mal, você me ligue que eu lhe dou ajuda”, completa o jogador, que segue os ataques.

“É só um babaca, um abestado querendo ganhar fama em cima de mim. Se ele for homem mesmo, de verdade, vá lá na delegacia e faça o 'corpo de delito', aí pega a minha agressão.” E ironiza. “É engraçado que as minhas agressões não deixam marca nenhuma. Será que minha mão tem algodão ou alguma coisa? Não deixa marca nenhuma. é engraçado que ‘delito’ nenhum acusa isso.”

Em seguida, Juninho recusa a ideia de processar o repórter Victor Pereira. “Pessoal dizendo 'Juninho, processe', eu tenho mais o que gastar dinheiro. Meu filho gasta um dinheiro do c*** com p*** de leite e fralda. Gastar dinheiro para processar um m*** desses falando mentira? Tá de sacanagem. Meu filho daqui a pouco ele acorda com fome e já vai uma lata de leite, cara pra c***. Tenho dinheiro pra gastar com a minha mãe, que gasta pra c***, meu pai, que é um absurdo. Minha irmã, que não faz nada. Minha outra irmã que estuda, minha mulher e meu filho. Gasto dinheiro pra c*** pra gastar processando esse merdinha?”, encerra Juninho.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.