Entrevista

"É conduta de moleque, de cafajeste", responde Evandro Carvalho ao diretor do Central

Após a derrota para o Salgueiro, o dirigente Silvado Oliveira afirmou que o clube caruaruense foi "roubado"

Publicado em 21/03/2019 às 11:12
Acervo/JC Imagem
FOTO: Acervo/JC Imagem
Leitura:

Os primeiros jogos nas quartas de final do Campeonato Pernambucano definiram Náutico e Salgueiro como classificados para a semi-final após venceram os jogos. Enquanto o duelo nos Aflitos passou de maneira tranquila, não se pode dizer o mesmo na partida realizada no Cornélio de Barros. Ao final do jogo, o diretor de futebol do Central, Silvado Oliveria, e o treinador Catende fizeram duras críticas à Federação Pernambucana de Futebol (FPF-PE). Em entrevista, hoje pela manhã, à Rádio Jornal, o presidente da FPF-PE, Evandro Carvalho, respondeu na mesma medida.

"Não tinha tomado conhecimento disso. Não sei quem foi o idiota que falou isso. Mas no caso de Sivaldo é conduta de moleque, de cafajeste. Ele não entra mais na Federação Pernambucana de Futebol. O Central bateu em excesso e o árbitro foi frouxo. Esse outro idiota que eu vou descobrir quem é (se referindo à Catende); Sivaldo não entra mais aqui e eu só trato com o presidente do Central. Eu vou tomar tomar todas as medidas no tribunal sobre os dois", afirmou Evandro Carvalho.

Ouça a entrevista completa

Acusações do Central

O diretor de futebol da Patativa se mostrou muito irritado e não poupou palavras ao ser questionado sobre a eliminação nas quartas de final. "Por isso que o futebol de Pernambucano está acabado. Enquanto aquele safado estiver tomando conta do futebol de pernambuco nós vamos estar acabado. É por isso que o futebol de Pernambuco é uma vergonha. Bando de ladrão", afirmou Sivaldo Oliviera.

O treinador Catende, que ocupou a vaga depois da demissão de Estevam Soares, na última segunda-feira, questionou a expulsão do atacante Giovanni Rosa e por causa dos sete cartões amarelos dados pelo árbitro Luiz Carlos Sobral aos jogadores da Patativa, enquanto a equipe do Salgueiro teve apenas o zagueiro Jemerson amarelado.

"Sem dúvida que a expulsão fez a diferença. Os jogadores com cartão amarelo ficam sem a reação de pegada. Se não tem o cartão, vai com mais vigor na jogada. Eu nunca tinha visto um time ser taço minado como o nosso", declarou.

Mais Lidas