Entrevista

Pipico recusou R$ 700 mil em salário no total para ficar no Santa Cruz


O vice-presidente executivo do Santa Cruz, Tonico Araújo, revelou os valores propostos pelo Fortaleza. Além disso, CSA e CRB também queriam o atacante

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 17/04/2019 às 12:43
Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Na última segunda-feira, após revelar ter recebido propostas para deixar o Santa Cruz e deixar o futuro em aberto, Pipico se pronunciou nas redes sociais e disse que irá ficar no Tricolor do Arruda. Mas, em contato com a Rádio Jornal, o vice-presidente do Santa Cruz, Tonico Araújo, informou que CRB, CSA e Fortaleza tentaram levar o atleta, devido ao desempenho na temporada, tendo o clube cearense oferecido um valor de R$ 200 mil em luvas e R$ 700 mil de salário no total, até o final do Campeonato Brasileiro da Série A, algo em torno de R$ 87 mil por mês.

"É uma coisa que você balança. Ele recebe aproximadamente em torno de R$ 20 mil. O Santa Cruz fez um reajuste, mas insignificante diante da proposta que ele recebeu. Nas poucas condições que o clube tem, tentando sair de dívidas, essas propostas acontecem", disse o Tonico Araújo.

Ouça a entrevista na íntegra

Permanência

Com 34 anos de idade, Pipico chegou ao Santa Cruz durante a Série C do ano passado e, contando com a atual temporada, disputou 23 partidas e marcou 14 gols pela equipe coral, além de ser considerado ídolo da torcida, também está adaptado a cidade. De acordo com Antônio Araújo, esses fatores, foram fundamentais para a continuidade do artilheiro.

"Isso faz parte do jogo. O jogador veio pra cá e está tendo um bom desempenho. O que motiva ele a ficar é o ambiente, que está muito bom, com os salários em dia dos jogadores e funcionários, e a família que gostou do Recife e do clube", garantiu o vice-presidente coral.


Mais Lidas