Planejamento

Em entrevista exclusiva, Márcio Goiano detalha as metas no comando do Náutico


O treinador alvirrubro concedeu entrevista exclusiva ao repórter Antônio Gabriel, do Escrete de Ouro, e falou também sobre a carreira no futebol

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 27/04/2019 às 13:30
Alexandre Gondim/JC Imagem
FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Quando o técnico Márcio Goiano chegou para comandar o Náutico, em maio do ano passado, poderia ser considerado como uma aposta. Não por ter acumulado experiências desde a primeira oportunidade como treinador, quando assumiu o Figueirense em 2010, mas pelo último trabalho ter sido na Aparecidense-GO. Além disso, a temporada alvirrubra vinha de um contraste com o então treinador Roberto Fernandes. O clube foi de campeão pernambucano à integrante da zona de rebaixamento da terceira divisão do Campeonato Brasileiro.

Em quase um ano de trabalho, acumula uma final de Campeonato Pernambucano e fez o Timbu avançar de fase pela primeira vez na Copa do Nordeste, desde o retorno da competição em 2013, onde vai enfrentar o Fortaleza no dia 09 de maio, e quase conseguiu o acesso à Série B, perdendo a vaga para o Bragantino. No entanto, uma nova chance começa neste domingo (28), às 18h, diante do ABC, no estádio Frasqueirão.

Ouça a entrevista completa

“A Série C é uma competição importantíssima. O Náutico hoje busca estar na Série A, é uma equipe que tem condições, já disputou várias vezes. Mas é encarar degrau por degrau. Nesse período que inicia a competição nós temos outros jogos no meio. Queremos ir até o fim na Copa do Nordeste. Vamos buscar e sonhar a conquista do título. Na Série C, são dez equipes do Nordeste. O primeiro objetivo realmente é chegar entre os quatro e decidir em casa. É preciso está focado para conseguir o acesso", relata o treinador.

Estilo de jogo

Na atual temporada, principalmente, nos primeiros jogos, o sistema defensivo cometeu erros e não passava confiança para o torcedor alvirrubro. Entretanto, o técnico mostrou novamente ser efetivo para organizar o time e impor a maneiro como gosta de montar a proposta de jogo. Não foi por acaso que o Timbu passou 18 partida invictos, obtendo a maior série do futebol brasileiro em 2019, até o momento.

"Quando eu passei a ser treinador, sempre procurei ser ofensivo, mas tenho que organizar a defesa. É sempre uma troca de informações com outros treinadores. Conversei com Fernando Diniz, observei o jogo do Fluminense e também do Santos. São equipes com um futebol agressivo", disse.

Intensidade nas partidas

Para Márcio Goiano, um ponto importante é a intensidade durante a partida. Os estudos realizados pelo comandante em jogos de Fluminense e Santos, que adotaram, a partir dos treinadores, a característica de posse de bola, reforçam o estilo que o atual treinador do Náutico tenta implementar os atletas.

"Hoje se trabalha com intensidade no dia a dia para que no jogo você consiga uma marcação alta. Eu preciso ter controle de jogo, fazer marcação alta e ter um equilíbrio. Observo alguns treinadores. É o estudo, a pesquisa. Lógico que existe a dificuldade de material humano, mas é passar confiança aos atletas que você tem no elenco", conclui.


Mais Lidas