Rubro-negro

Presidente revela dificuldades no Sport com bloqueio da cota de TV


Milton Bivar falou também que ainda não tem um 'plano B' no caso de não conseguir reverter o bloqueio judicial do valor

Publicado em 15/05/2019 às 12:14
Foto: Rodrigo Lobo/Acervo JC Imagem
FOTO: Foto: Rodrigo Lobo/Acervo JC Imagem
Leitura:

O Sport tem sofrido com problemas financeiros advindos das gestões passadas do clube. Além da diminuição de receitas por conta do rebaixamento para a Série B, o Leão também encara o bloqueio da sua cota de televisão. O valor, que já havia sido diminuído para 5,6 milhões - por causa de débitos e negociação com a emissora detentora do campeonato - foi bloqueado pela Justiça. Com o apoio do presidente da FPF, Evandro Carvalho, a diretoria leonina espera reaver este valor para tentar manter as contas em dia neste ano.

Ouça a entrevista na íntegra

“Eu já estive lá (na emissora) algumas vezes. Só que, de repente, tratei com uma pessoa, depois veio o departamento financeiro da Globo, acertou uma coisa, e com outro (acertou) outra coisa, e o negócio ficou um pouco complicado. Mas o nosso presidente (da FPF) Evandro (Carvalho) está tentando resolver isso e nós estamos na expectativa de uma solução positiva para esse caso”, falou o presidente do Sport, Milton Bivar, em entrevista a Ralph de Carvalho, na Rádio Jornal.

O mandatário rubro-negro admitiu também que, por enquanto, ainda não tem uma outra via em mente caso o bloqueio permaneça. “Sinceramente, tem que ter plano B. Mas tenho nem como falar, porque não tem (ainda). De imediato não tenho como falar o que faremos”, admitiu.

Austeridade

Quando assumiu o clube, Milton Bivar falou sobre a difícil missão de colocar as contas em ordem no Sport. E, de forma sincera, falou que era preciso ‘diminuir o tamanho’ do clube. Reduzir gastos e manter em um patamar do qual se torne possível pagar tudo de maneira correta. Entre uma das medidas, o corte no quadro de funcionários era uma das medidas. Aconteceu no começo da gestão e, segundo o próprio presidente, acontecerá novamente.

“Independente de qualquer coisa, isso é uma realidade. Estamos trabalhando em cima disso e hoje alguns funcionários vão tomar conhecimento das novas decisões. Com o coração partido, alma amarga e desgosto, mas infelizmente a gente teve que tomar essa medida (de demitir funcionários)”, falou Milton.

Dívidas com atletas

Outro ponto tratado na conversa com o comentarista da Rádio Jornal foi o débito com jogadores do atual elenco. Ao longo do ano, jogadores já rescindiram seu contrato com o Sport em acordo por conta dos salários atrasados. Casos dos atacantes Reinaldo Lenis e Rogério, que seguiram para outros clubes e não colocaram o Leão na Justiça. Outros atletas remanescentes de 2018 negociaram com a diretoria e acordaram uma forma de pagamento, que é tratada como prioridade pelo presidente leonino.

“ Para alguns jogadores, nós conseguimos aumentar o período para que a gente possa cumprir (com o acordo), como foi o caso do próprio Magrão, no caso do Raul Prata, que teve muita compreensão do lado dele. Do Sander também, do Brocador nem se fala. Com tudo isso, (estou) jogando nas minhas mãos uma credibilidade grande e não posso falhar com nenhum deles. Botei na minha cabeça que vou trabalhar para pagar a todos eles. Alguns outros nem entraram em contato conosco e foram direto para a Justiça, e estamos trabalhando para ver de que forma podemos acertar todos esses débitos”, encerrou o Bivar.


Mais Lidas