Sport

Sammir apresenta melhora nos números em partidas pelo Sport


Comissão técnica rubro-negra traçou um planejamento para o meia-atacante recuperar a boa forma

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 30/05/2019 às 10:00
Reprodução/Sport Club do Recife
FOTO: Reprodução/Sport Club do Recife
Leitura:

Uma evolução planejada. Quando foi contratado pela diretoria do Sport, o meia-atacante Sammir estava há quase duas temporadas sem disputar uma partida oficial. Por isso, precisou de um período maior para se recondicionar e ganhar condições de jogo. Apesar da cautela nos treinamentos, o brasileiro naturalizado croata acabou sofrendo uma lesão no tendão de Aquiles e ficou um mês em recuperação. Nesse início de Série B, o camisa 10 rubro-negro vem tendo uma sequência como titular e, a cada rodada, ele vem ganhando mais minutos em campo e melhorando a sua performance.

No confronto diante do Operário-PR, Sammir quebrou dois tabus: de voltar a atuar uma partida completa (a última vez tinha sido em abril de 2017) e o de marcar um gol (o último foi em março de 2017) - ambos os fatos quando defendia o Dinamo Zagreb, da Croácia. “Sammir vem suportando bem e conseguindo desenvolver jogadas importantes. Ele vai chegar no ponto que queremos, jogando um futebol importante para nós”, contou Guto Ferreira, que acredita que o meia estará em plenas condições para render 100% após a Copa América.

Os números do meia-atacante nessas seis primeiras rodadas da Segundona podem parecer modestos, mas já apontam uma evolução. Se contra o Oeste, na estreia da Brasileiro, Sammir ficou em campo apenas no primeiro tempo; na partida seguinte, contra o Bragantino, já permaneceu por 75 minutos - Guto foi dando mais minutagem a cada jogo até que ele conseguisse suportar os 90 minutos. Nas seis partidas da Série B, o brasileiro naturalizado croata soma 431 minutos, o que dá uma média de 78 minutos por jogo.

Números

Com relação aos fundamentos, o brasileiro naturalizado croata também apresenta progressão. Participativo, Sammir deu 188 passes nos seis jogos (média de 31 passes), contribuindo bastante com assistências para finalização - já foram dez, mas nenhuma que resultou em gol.

Se no começo, o camisa 10 parecia tímido e pouco chutava em gol (contra o Oeste não finalizou), agora ele já demonstra uma atitude diferente e está pisando mais na área para tentar o arremate, assim como aconteceu diante do Operário-PR, quando ele marcou o gol do Sport dentro da grande área.


Mais Lidas