audiência

Representantes de Sport e Magrão estão confiantes após audiência


A audiência na 10ª Vara do Trabalho teve 1h15 de duração, mas os dois lados seguem em negociação

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 27/06/2019 às 18:56
Filipe Farias/Jornal do Commercio
FOTO: Filipe Farias/Jornal do Commercio
Leitura:

O primeiro encontro entre as partes do processo envolvendo o goleiro Magrão aconteceu nesta quinta-feira (22), na 10ª Vara do Trabalho do Recife. Como já era esperado, o goleiro não compareceu à audiência (está em São Paulo com a família), sendo representado pelo seu advogado, Leonardo Laporta. Já o lado do Sport foi representado pelo advogado Eduardo Coimbra, mas o vice-presidente jurídico do clube, Marcos Cabral, e o diretor de futebol Nelo Campos também compareceram na audiência.

Mesmo essa causa sendo mantida em segredo de justiça, a reportagem do Jornal do Commercio obteve a informação da realização da audiência de conciliação (para tentar um acordo entre as partes) e foi a única a comparecer na Justiça do Trabalho, acompanhando de perto a movimentação e o andamento da audiência, que teve 1h15 de duração.

A audiência tinha início previsto às 14h (horário que fecha os portões do Justiça do Trabalho). De acordo com apuração, o motivo de as juízas do caso marcar depois do expediente e manter o horário guardado a sete chaves era pra evitar algum possível tumulto, já que havia a expectativa de o goleiro Magrão comparecer na audiência. Expectativa essa comprovada pela reportagem, pois todos nos corretores da Justiça do Trabalho só comentavam isso sobre o assunto. De servidores aos advogados que aguardavam por suas audiências.

O advogado de Magrão, Leonardo Laporta, chegou por volta das 13h25. De terno cinca escuro, camisa branca, gravatá preta, óculos escuros e mochila nas costas, Laporta mostrava um semblante tranquilo. Ao ser abordado pela reportagem do JC, respondeu as perguntas, sem fugir das indagações... Explicando que Magrão não iria comparecer e nem se encontrava no Recife.

Já os representantes do Sport chegaram apenas às 13h45. Eduardo Coimbra (advogado) e Marcos Cabral (vice jurídico), ambos trajados com terno preto, camisa branca e gravatá listrada, chegaram esbanjando simpatia e logo foram cumprimentar Eduardo Laporta. Já o diretor de futebol Nelo Campos deixou de lado a formalidade e foi de camisa social e calça jeans, mostrando uma expressão preocupada, mas o gelo foi logo quebrado ao iniciarem uma conversa informal entre as partes.

Antes de entrarem na audiência, durante o bate-papo, Marcos Cabral disse à Laporta: "Somos um clube de acordo. Queremos ver uma melhor composição para um bom acordo para todos", falou o vice-jurídico rubro-negro, recebendo um sinal positivo do advogado de Magrão, que se limitou a dizer: "Muito bom".

Leia mais no JC Online


Mais Lidas