Sport

Caso Magrão: confira o valor do acordo, parcelas e um possível jogo de despedida


O goleiro colocou o Sport na Justiça para cobrar dívidas salariais e a expectativa é que haja entendimento entre as partes

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 28/06/2019 às 21:18
Léo Mota/JC Imagem
FOTO: Léo Mota/JC Imagem
Leitura:

O desfecho positivo do caso Magrão está nas mãos do Sport. Após a segunda audiência de conciliação, realizada na tarde desta sexta-feira (28), na 10ª Vara do Trabalho do Recife, o departamento jurídico rubro-negro deixou a sessão judicial ciente do valor que o clube tinha de chegar para selar o acordo com o goleiro.

Diferente da quantia apresentada na petição inicial do agora ex-camisa 1 do Leão, de R$ 5.016.853,16, valor antecipado pela reportagem do Jornal do Commercio, as duas partes podem chegar a um entendimento por uma quantia bem abaixo. De acordo com apuração do JC, o acordo entre Sport e Magrão gira em torno de R$ 2,3 milhões a R$ 2,4 milhões. Com esse montante, pelo que foi apurado, sendo pago em aproximadamente 40 parcelas (pouco mais de três anos). Mas a diretoria rubro-negra querendo pagar R$ 300 mil a R$ 400 mil a menos.

O que poderia ajudar o Sport a pagar uma boa parte desse acordo seria a realização de um jogo de despedida para Magrão - proposta feita pelo clube -, com toda renda da partida sendo destinada para quitar a dívida do clube com o goleiro - a quantia que desse na bilheteria iria abater do valor fixado no acordo.

Entretanto, para que esse jogo de despedida do camisa 1 possa acontecer, o Leão precisaria aceitar pagar o que Magrão está exigindo. Ou seja, desembolsar cerca de R$ 300 mil a 400 mil a mais. Algo que será discutido pela diretoria ao longo do final de semana - já se reuniram na tarde desta sexta-feira (28), na sala da presidência.

Previsão

A expectativa é que no início da próxima semana já se tenha uma sinalização positiva ou negativa de um entendimento entre as partes. Caso não aconteça um desfecho positivo, segue o rito judicial. Com a juíza substituta Dra. Maria Carla Dourado de Brito Jurema julgando a liminar de antecipação de tutela (para quebra de contrato e liberação do arqueiro) num prazo de 10 dias. E a audiência de instrução sendo marcada, a princípio, para o dia 25 de setembro - com Magrão sendo obrigado a comparecer.

Leia mais no JC Online


Mais Lidas