Copa América

Ouça os gols que garantiram o 9º título da Copa América para o Brasil


A Seleção Brasileira venceu o Peru por 3 a 1 e conquistou a Copa América diante de mais de 70 mil pessoas no Maracanã

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 07/07/2019 às 19:02
Lucas Figueiredo/CBF
FOTO: Lucas Figueiredo/CBF
Leitura:

A partida estava aparentemente sob controle, mas ganhou tom dramático com a expulsão do atacante Gabriel Jesus na metade do segundo tempo. Para a alegria da nação verde e amarela, neste domingo, prevaleceu o conjunto da seleção brasileira dirigida pelo técnico Tite. O Brasil venceu por 3×1 o Peru na final e conquistou a nona Copa América no Maracanã. Os gols foram marcados por Everton, Gabriel Jesus e Richarlison. Guerrero fez para os peruanos. Mais de 70 mil pessoas assistiram no lendário palco do futebol mundial a Canarinho conquistar pela quinta vez dentro de casa o torneio sul-americano. Agora, dos nove títulos, o Brasil conquistou todos os cinco que disputou em território brasileiro.

Ouça os gols na voz de Aroldo Costa

O jogo

Os peruanos começaram a partida tentando surpreender os brasileiros. Logo após a bola rolar, os visitantes arriscaram dois chutes de fora da área com os meias Cuevas e Tapia. Enquanto isso, a Canarinho suportava com tranquilidade as investidas. E na primeira oportunidade, levou a torcida ao delírio no centenário palco do futebol mundial. Aos 14 minutos, o atacante Gabriel Jesus realizou linda jogada do lado direito, passou pelo lateral-esquerdo Trauco, e cruzou para o também atacante Everton completar batendo de primeira para o fundo da rede.

Gol que deixou o jogador do Grêmio na artilharia isolada da Copa América com três gols, antes tinha marcado contra a Bolívia e o próprio Peru na primeira fase da competição. Se antes de abrir o placar a seleção brasileira já dava sinais de consciência e controle na partida, depois ainda mais. A equipe do técnico Tite recuou as linhas e esperou os espaços para atacar o Peru. Em dois momentos, criou lances com o meia Coutinho aparecendo como homem surpresa dentro da grande área e na cabeçada do centroavante Roberto Firmino.

A defesa do Brasil não sofreu nenhuma ameaça. Até um detalhe acabar com invencibilidade do goleiro Alisson, que não tinha sofrido nenhum gol na Copa América. Pelo lado esquerdo, Cueva tabelou com meia Flores e tentou devolver. Só que a bola bateu na mão de apoio do zagueiro Thiago Silva, que tentou parar a jogada com o carrinho. E dentro da grande área, o árbitro chileno Roberto Tobar marcou pênalti. Ele revisou o lance no VAR e confirmou a penalidade. Aos 43, o artilheiro e estrela Guerrero foi para a cobrança e converteu. Bola de um lado, goleiro do outro. Só que o lance não abalou a
consciência da seleção brasileira.

De forma madura e rápida, a equipe verde e amarelo conseguiu criar a jogada do desempate no último lance do primeiro tempo. Firmino roubou a bola pelo lado direito e passou para o volante Arthur, que arrancou pelo meio-campo. Já perto da grande área, aos 47, Gabriel Jesus apareceu do lado esquerdo dele, recebeu o passe, e de forma tranquila mandou para o fundo da rede na saída do goleiro Gallese.

Na etapa final, a seleção brasileira voltou do intervalo marcando o Peru na saída de bola. Em busca do terceiro gol, o Brasil segurava os peruanos e esperava espaço para acertar o contra-ataque. Até os 24 minutos, a final ficou lá e cá. Com os donos da casa, levando mais perigo do que os visitantes no Maracanã. Porém, depois, um lance mudou a história do m do jogo. Gabriel Jesus levou o segundo cartão amarelo em uma falta de ataque e foi expulso. Assim, o treinador Gareca colocou a seleção peruana toda no ataque e não restou outra opção a Canarinho, que não fosse se defender. Tite o gás no ataque com a entrada de Richarlison na vaga de Firmino.

Além disso, acionou o zagueiro Éder Militão no posto de Coutinho. Substituição que deu certo e Brasil conseguiu ainda aumentar a vantagem no placar. Everton foi derrubado em jogada de infiltração na grande área e o árbitro Roberto Tobar marca pênalti. Ele consulta o VAR e confirma a infração. Aos 44, Richarlison converte o pênalti e garante o título.


Mais Lidas