Ritmo

Pensando do ritmo de jogo, Santa Cruz coloca Marcelo Mattos no sub-23


O volante foi titular na última partida do Tricolor do Arruda contra o Ferroviário-CE pela Série C

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 10/07/2019 às 20:47
Jota Santana/Santa Cruz Futebol Clube
FOTO: Jota Santana/Santa Cruz Futebol Clube
Leitura:

O Santa Cruz enfrenta o Atlético-PR, nesta quinta-feira, na Arena da Baixada, em partida válida pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro de Aspirantes. No time titular, uma peça que chegou com um misto de status e cautela ao Arruda. O volante Marcelo Mattos foi deslocado a equipe sub-23 para ganhar ritmo de jogo. Ele voltou a jogar uma partida como titular após quase três anos na derrota para o Ferroviário-CE na última sexta-feira. A última vez que sentiu essa experiência tinha sido no dia 16 de setembro de 2016 contra o Joinville, quando vestia a camisa do Vasco.

Com um contrato de produtividade, o cabeça de área campeão brasileiro desembarcou no Arruda depois de mais de dois anos se recuperando de uma grave lesão no joelho e cinco cirurgias. Quando voltou jogar em uma equipe principal, Marcelo Mattos sofreu muitas críticas por conta da falta de ritmo de jogo. Anteriormente, nesta ano, não chegou a disputar 45 minutos quando foi acionado duas vezes durante duas etapas finais por Vasco e Santa Cruz, respectivamente. O zagueiro Vitão também irá disputar a partida entre os aspirantes.

“A intenção dos atletas jogarem o sub-23 é pelo fato de poder ganhar ritmo de jogo. Cada vez mais entrando em um período de competição onde exige que todos quem prontos o mais rápido possível para jogo. Até porque se eles forem acionados, é necessário que estejam prontos. Então, Marcelo Mattos e Vitão, em comum acordo, devem jogar entre os aspirantes para ganhar ritmo”, armou o executivo coral Luciano Sorriso.

Jogo

Nesta quinta-feira contra o Athletico-PR, o Santa Cruz encerra a participação no Campeonato Brasileiro de Aspirantes. A competição tem oito jogos na primeira fase, onde as equipes são divididas em duas chaves. A Cobra Coral está na última colocação do Grupo A. “Warley e Elias são atletas da casa que estão sempre jogando no sub-23. Entendemos que estão no momento de serem lapidados. E isso só acontece em grandes jogos como esse contra o Athletico”, finalizou Sorriso.


Mais Lidas