NÁUTICO

Jogadores do Náutico rebatem críticos da equipe

Timbu foi campeão da Série C do Campeonato Brasileiro ao empatar com o Sampaio Corrêa por 2x2 no duelo da volta, em São Luis (MA)

Publicado em 06/10/2019 às 20:54
Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:

Em meio à alegria pela conquista da Série C do Campeonato Brasileiro, também sobraram desabafos de alguns jogadores do Náutico sobre as críticas e desconfianças que cercaram a equipe até a noite deste domingo (6). O empate, por 2×2, com o Sampaio, no estádio Castelão, em São Luís, garantiu o primeiro título brasileiro da história do Timbu e serviu também para “lavar a alma” dos atletas. Pelo lado alvirrubro, Álvaro e Matheus Carvalho balançaram as redes, enquanto Everton e Salatiel marcaram pelos donos da casa. No placar agregado, o Timbu foi campeão por 5×3.

Ouça os gols da partida em que o Náutico conquistou o inédito título nacional.

O meio-campista Jhonnatann, inclusive, relembrou as suspeitas que pairavam sobre a equipe alvirrubra na última rodada da primeira fase. Na ocasião, o Timbu enfrentou o Santa Cruz, que precisava da vitória para avançar de fase. Situação bem diferente do Náutico. Já garantido no mata-mata, o time de Conselheiro Rosa e Silva buscava a o primeiro lugar e assim o fez, ao bater a Cobra Coral por 3×1, deixando o Sampaio Corrêa em segundo.

“Passamos o campeonato todo, sempre alguém duvidava. Quando a gente ganhava, era vaia do adversário, nunca reconheceram os nossos méritos, mas a gente veio quietinho. Duvidaram até do nosso caráter contra o Santa Cruz, achando que a gente ia abrir. Rapaz, quando a gente entra em campo com a camisa do Náutico, é para honrar e é para sair com a vitória. Granças a Deus, Deus nos honrou, nos abençoou e nós conseguimos o título. É para a torcida, nós jogadores, diretoria. Para todo mundo que trabalha muito firme, caladinho, mas que conseguiu o objetivo de chegar ao título”, desabafou Johnnatann.

“Merecimento”

O goleiro Jefferson, um dos grandes destaques da campanha do Timbu, com direto a defesas de pênaltis, nas quartas de final e nas semifinais, também não deixou passar a oportunidade de falar a quem duvidou da equipe. “O que resume esse título é a palavra que o Gilmar Dal Pozzo usou o ano inteiro para a gente: merecimento. (Começamos) não muito bem na competição… e, mesmo quando a gente estava na melhor campanha, muitas pessoas duvidaram do nosso trabalho. Mas está aí. Às vezes o silêncio é a melhor resposta. Só temos que agradecer a Deus, pois estamos na história do clube”, vibrou o arqueiro.

 
 

Mais Lidas