NÁUTICO

Entenda como acontece a eleição para o Conselho Deliberativo do Náutico

A eleição para o CD do Náutico acontece de maneira diferente ao do executivo

Publicado em 18/11/2019 às 15:30
Brenda Alcântara/JC Imagem
FOTO: Brenda Alcântara/JC Imagem
Leitura:

Atual presidente executivo do Náutico, Edno Melo será aclamado pela segunda vez consecutiva no próximo dia 8 de dezembro para o mandato do biênio 2020/2021. Se apenas uma chapa se candidatou para as eleições da diretoria executiva, três chapas disputarão as vagas para o Conselho Deliberativo. O pleito dos conselheiros, no entanto, acontece de maneira diferente ao do executivo, a começar pelo mandato de quatro anos, como prevê o estatuto do clube, aprovado em 2015.

Atual vice-presidente jurídico do Náutico, Alexandre Carneiro, lidera o grupo de conselheiros apoiado pela situação e já teve seu nome confirmado previamente como candidato à presidência. As outras duas chapas que concorrem ao Conselho Deliberativo são coordenadas por Newton Morais, ex- conselheiro do clube, e Raphael Gazzaneo, ex- vice-presidente de patrimônio. As eleições do dia oito de dezembro vão definir os nomes dos 270 conselheiros, de forma proporcional. Cada chapa elege um número de conselheiros referente ao percentual de votos que obteve nas urnas, a partir de um mínimo de 10% (quociente eleitoral).

Assim, caso a primeira chapa tenha 50% dos votos, a segunda 30% e a terceira 20%, os 270 conselheiros serão compostos por 135 nomes indicados pela primeira chapa, 81 pela segunda e 54 pela terceira. A eleição do Conselho Deliberativo acontece semelhante ao sistema parlamentarista, a diferença é que um candidato pode estar em mais de uma chapa. Dentre os nomes que cada chapa propôs, serão eleitos os conselheiros de acordo com a antiguidade na matrícula de sócio, outra determinação estatutária. Havendo empate em relação a data de associação, o desempate será pela idade, com preferência para o candidato mais velho.

“A eleição deste ano é regida pelo estatuto aprovado em 2015. O estatuto traz uma novidade, que é a possibilidade de múltiplas chapas para o conselho deliberativo, antes eram necessários 270 nomes para que uma chapa fosse registrada, já que são eleitos 270 conselheiros. Nesta eleição, as chapas podem ser protocoladas, como foram no dia 13 de novembro, com um número menor de nomes, concorrendo normalmente ao pleito”, explicou o conselheiro Marcio Borba, membro da comissão eleitoral do Náutico.

Com responsabilidade de organizar e coordenar os trabalhos da eleição, desde a constituição até o fim da apuração dos votos, a comissão eleitoral do Náutico é formada por cinco associados eleitos pelo Conselho Deliberativo: Eurico Barros (presidente da comissão), Paulo Azevedo (vice-presidente), Paulo Roberto, Pablo Vitório e Marcio Borba. Os cinco nomes estão inscritos em todas as chapas candidatas e já estão garantidos como conselheiros para o quadriênio 2020/2023.

“Como já vem acontecendo nas eleições do clube, foi definido que os cinco membros da comissão eleitoral não serão candidatos ao conselho, até por uma questão ética. Então, dos 270 nomes do conselho, cinco já serão os membros da comissão eleitoral, estando inscritos em todas as chapas candidatas. Portanto, serão distribuídos pelas chapas 265 vagas de conselheiros, que serão ocupados proporcionalmente pela votação de cada chapa em relação aos votos válidos”, destacou Borba.

Eleição do presidente do Conselho

Após a eleição do dia oito de dezembro, os 270 conselheiros eleitos tomarão posse até o quinto dia útil do próximo ano. Na ocasião, através de uma eleição indireta, os conselheiros elegerão o presidente, o vice-presidente, bem como para o primeiro e segundo secretário do Conselho Deliberativo, que terão um mandato de quatro anos. Até o momento, as chapas lideradas por Newton Morais e Raphael Gazzaneo não indicaram os candidatos e apenas Alexandre Carneiro foi indicado previamente para concorrer a presidência, representando a situação.

Mais Lidas