PERNAMBUCANO

Presidente da FPF revela procura dos clubes do Recife para pedir apoio financeiro ao governo


O pedido seria uma forma de amenizar os problemas financeiros que os clubes vão passar devido à paralisação dos campeonatos

Publicado em 19/03/2020 às 11:53
Acervo/JC Imagem
FOTO: Acervo/JC Imagem
Leitura:

A paralisação do futebol devido ao surto do novo coronavírus acaba afetando diretamente a questão financeira dos clubes de Pernambuco. E em entrevista para Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal, o presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, revelou que clubes procuraram a FPF para se unirem e solicitarem algum apoio financeiro do Governo do Estado.

Ouça a entrevista na íntegra:

“Eu recebi a demanda, os desejos dos clubes de irem ao Palácio (do Governo) e antecipei que a probabilidade é remota pela dificuldade do governador Paulo Câmara em um momento de contingência pela fase que passamos. Acho pouco provável, mas a minha obrigação é acompanhar os desejos dos clubes, dentro da legalidade, e comprarmos a briga”, disse o presidente.

Segundo apurou a nossa reportagem, a ideia surgiu de um ex-presidente do Santa Cruz e o valor giraria em torno de R$ 1 milhão. Sport, Náutico e a equipe Tricolor negaram que a procura partiram deles, mas confirmaram que houve uma conversa “embrionária” antes da paralisação. No entanto as negociações não andaram. As três equipes estariam dispostas a receber um patrocínio do Governo de Pernambuco.

Apoio financeiro da FPF?

Como forma de ajudar os clubes, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) aceitou paralisar as competições e um dos motivos, além da saúde da população, foi evitar um aumento nos gastos internos dos clubes. Segundo Evandro Carvalho, a FPF não tem recursos para ajudar ainda mais os clubes de Pernambuco.

“A saída já foi dada pela CBF. Suspender as atividades porque já economiza em várias despesas dentro do clube. A Federação Pernambucana de Futebol é a única federação que se endividou para socorrer os clubes. Nós não temos liquidez nem patrimônio que viabilize qualquer captação de recursos além daquilo que nós exageradamente já fizemos”, completou.


Mais Lidas